Colunas Literaliza BH Literatura Livros

Traços – Eduardo Cilto

 

“Traços” é o primeiro livro do youtuber brasileiro, Eduardo Cilto, dono de um dos maiores canais de literatura, o “Perdido nos livros” que já soma mais de 320 mil inscritos. No canal, Cilto comenta sobre obras de vários gêneros literários, incentivando a leitura e a discussão sobre questões importantes, como depressão, suicídio e representatividade. Canais literários são uma forma bem interessante de divulgar a leitura e promover o hábito entre aqueles que estão cada vez mais conectados ao mundo virtual e distante da literatura.

 

É interessante essa proposta de várias editoras em dar espaço para as pessoas que fazem resenhas e críticas. O que se espera delas é apresentar algo diferente daquilo que está nas livrarias, uma vez que, são capazes de apontar os defeitos e acertos de escritores do mundo todo. Enquanto alguns youtubers têm suas jovens vidas biografadas, Cilto nos apresenta uma ficção jovem, repleta de críticas (inclusive à internet), com drama, ação, aventura, reviravoltas, e até mortes chocantes. Apesar de não fazer parte do público alvo, eu gostei da leitura.

 

“A internet virou um grande espaço onde qualquer um consegue postar o que quer e se autopromover para aqueles que conhece, sempre com o mesmo conteúdo repetitivo, as mesmas reclamações, as mesmas coisas de sempre: “Vejam as fotos das minhas férias”, “Curtam as fotos dos meus presentes de aniversário”, “Comentem sobre o quanto estou bonita nesta foto”. É uma luta de egos que parece não ter fim”. (pág.44)

 

“Traços” conta a história de Matheus um adolescente como outro qualquer, que frequenta a escola, vive as angústias e as amarguras, da idade. Um menino sufocado pela família que faz marcação cerrada a cada passo que ele dá, sobretudo após a morte do irmão mais velho. Motivo dessa morte é um mistério que quando desvendado vai te deixar de queixo caído. Matheus raramente saí de casa sozinho, sempre está acompanhado dos pais superprotetores. Quando isso acontece, na festa junina da cidade, vários acontecimentos vão desencadear uma mudança profunda na vida dele.

 

Matheus é apaixonado pela colega Beatriz, que apesar de viver sempre grudada nele, ser dependente dele, não é capaz de enxergar esse amor. Achei a Beatriz chata e petulante. Não sei se esse era o objetivo, mas a personalidade dela fez toda a diferença para o crescimento do Matheus. Beatriz é a responsável pelas maiores loucuras já vividas por ele, como beber vodca na festa, e participar de um ritual estranho na casa de uma colega que se diz bruxa.  Neste ritual, Beatriz recebe uma mensagem sobre o futuro que ela decide investigar melhor.

 

 “Existe uma estrada a seguir, um coração a afundar e um destino a cumprir! Afaste-se e veja a verdade. Trace o caminho” (pág. 41)

 

A garota, que é obcecada por um youtuber, o “garoto diferente, entende que essa “estrada a seguir” e ir atrás desse garoto e assim o faz. Foge da cidade, levando Matheus a tiracolo. Nessa jornada para a cidade grande, muita coisa acontece, muita coisa mesmo. Desde abrir igreja com grampo de cabelo, carona frustrada por um assédio, roubo a uma lanchonete de beira estrada (Vi aqui uma enorme semelhança com a série “The end of de [email protected] world”), e isso influenciou minha mente a imaginar os personagens do livro com os atores britânicos da série. Quero destacar a convivência divertida dos dois com um grupo de travestis, entre elas a Tyfanny Falsey Anne (ri muito).

 

A viagem é uma jornada de autoconhecimento para os dois, sobretudo Matheus que começa a enxergar Beatriz e o mundo ao seu redor de maneira bem diferente. Gostei desta mudança de perspectiva gostaria de ler uma continuação sobre a nova postura do Matheus.  

 

“Traços” é um livro bem dia a dia, com pessoas normais e de fácil identificação. Gosto muito disso. Lançado pela editora Planeta em 2016, é um livro voltado para o público infanto-juvenil. Traz as angústias, mágoas e decepções típicas da idade, a interferência da família muitas vezes interpretada como equivocada, e por isso em algum momento os “problemas” dos jovens, podem parecer bobo ou sem graça.

 

Não é um livro profundo com ensinamentos para os adultos, mas vejo uma sintonia muito forte com os adolescentes. Cilto dialogou muito bem, com um texto despretensioso, bem direcionado, uma história fechadinha, apesar dos inúmeros acontecimentos que se desdobrados dariam uma trilogia com certeza.

 

Citações musicais??

Like a Prayer (Madonna)

Magnets (Disclosure)

The lady is a Tramp

 

Esta coluna é publicada aqui, todas as segundas!

Envie seu e-mail para as colunistas: [email protected] | [email protected]

Quer saber mais sobre literatura acesse: www.literalmenteuai.com.br

 

Deixe o seu comentário

Elis Rouse
Elis Rouse
Sou Elis, não sou Regina; sou do interior e amo a capital; sou jornalista, mas não trabalho em jornal; amo ler, sonho escrever; dicas vou dar, dicas quero receber; experiências vamos trocar; literatura brasileira vamos amar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *