Analise Brasil Colunas Crítica Musical Destaque Música Resenha

KT Tunstall mostra em “Wax” porque é uma das melhores cantoras e guitarristas de “Pop/Folk e Indie Rock” da atualidade

Turnê do novo álbum da cantora (que passou pelo Brasil em novembro deste ano), traz os hits “Little Red Thread”, “Dark Side Of Me”, “Poison In Your Cup”, “In This Boy” e etc; “Wax (2019)” faz parte da trilogia que começou com o disco “KIN (2016)”; cantora faz homenagem a David Bowie em “The Night that Bowie Died”

 

Coluna: ‘Crítica Musical’
Jornalista | Colunista:
Felipe de Jesus
Siga: @felipe_jesusjornalista
*Especial: novo álbum “Wax (2018)” | TOUR BRASIL 2019*

 

Quando escutei pela primeira vez a música “Suddenly I See”, a internet ainda não era tão forte como hoje é no Brasil! Pelo impacto que a música me causou, corri para as lojas de CD´s que frequentava para tentar descobrir quem era a cantora que conseguia ao mesmo tempo ter uma voz marcante e um domínio indiscutível na guitarra. Eis que descobri que era a cantora escocesa “KT Tunstall” e que tinha acabado de lançar o seu ótimo e premiado trabalho de estreia “Eye To The Telescope (2005)”. O álbum que dominou as paradas musicais, fez da cantora um dos mais novos sucessos mundiais e de lá para cá, ela manteve essa força com os álbuns “Drastic Fantastic (2007)”, “Tiger Suit (2010)”, “Invisible Empire // Crescent Moon (2013)”, “Kin (2016)” e recentemente “Wax (2018)”, seu sexto e mais novo trabalho. Prova do sucesso, é que “Wax (2018)” teve 100% de aprovação dos usuários do Google. Além disso, o novo trabalho faz parte da trilogia de álbuns que começou com “KIN (2016)” e que provavelmente no ano de 2020, será completada por mais um disco da cantora.

 

Para entender a força de KT Tunstall, que passou pelo Brasil em novembro deste ano (TOUR BRASIL 2019: São Paulo, Curitiba e Rio de Janeiro), basta escutar a primeira faixa de “Wax (2019)” intitulada por “Little Red Thread”. A canção que abre o álbum traz alguns acordes inesquecíveis de guitarra, mantendo em evidência o “Pop/Folk e Indie Rock” marcante na carreira da cantora. Fora isso, a voz de KT Tunstall encanta pela firmeza. Em seguida “Human Being” também mostra que o novo álbum vem fazendo o sucesso merecido pelos elementos sonoros utilizados na canção. Com “The River” vemos uma KT Tunstall ao estilo mais “Pop” e bem antenado as novidades musicais que permeiam o cenário mundial. Dando sequência, a cantora traz “The Mountain”, canção que mais uma vez prende o ouvinte com sua magnitude. Os toques de guitarra são únicos e a bateria eletrônica um complemento perfeito.

 

Chegando em “The Healer”, a cantora deixa claro suas influências musicais que com certeza permeiam pelo cenário dos anos de 1980, como, exemplo o grupo The Pretenders. Mais um sucesso marcante! Com “Dark Side Of Me” (uma das minhas canções preferidas do álbum), a guitarra sensacional da cantora aparece em evidência. Algo meio “Sheryl Crow” nos anos de 1990. Que canção! Em “Poison In Your Cup”, o violão toma a cena. Nela dá para se ver porque a cantora ainda encanta os fãs. A música é também uma das minhas preferidas do novo trabalho. Para trazer ainda mais empolgação para o ouvinte ela chega com a canção “Blacklash & Vinegar” trazendo os toques perfeitos da guitarra da cantora. Algo bem próximo dos seus primeiros trabalhos. Eu particularmente gostei demais do som desta faixa. É impactante! Em “In This Boy” a sonoridade mais “Pop” ressurge. A canção ecoa a sonoridade do baixo e guitarras. Está demais! O álbum também traz uma “homenagem” de KT Tunstall ao cantor David Bowie em “The Night that Bowie Died”, pelo menos foi o que eu senti ao ler a letra da música. A canção é linda! Vale a pena escutar com atenção. Para fechar o álbum com maestria, aliás, algo que KT Tunstall sabe fazer muito bem, ela traz a faixa “Tiny Love”. Nessa canção vemos a cantora 100% focada.

 

Avaliação ||

 

Quando uma estrela nasce para brilhar, não há nada que possa atrapalhar e com a cantora “KT Tunstall” a história é bem essa. Sua discografia nos mostra que sua paixão musical não se importa com modismos, mas com o que o fã espera dela e nesse quesito ela é sempre surpreendente e imbatível!. “Wax (2018)” reforça isso muito bem, tanto que deste sensacional álbum indico as faixas: “Little Red Thread”, “Human Being”, The Mountain” “Dark Side Of Me” (faixa que gostei demais!), “Poison In Your Cup”, “In This Boy”e “The Night that Bowie Died”. Avalio com cinco estrelas máxima, pois mesmo em tempos digitais, ao qual somos presenteados quase que diariamente por uma novidade musical, alguns artistas conseguem se destacar ainda mais e KT Tunstall é um desses ótimos exemplos. Se você ainda não ouviu “Wax (2018)”, escute, pois são quase 42 minutos de pura qualidade sonora. Álbum disponível no formato físico e nas plataformas digitais.

 

 

 

 

Fotos: KT Tunstall
Até a próxima Crítica Musical.
A coluna é publicada neste espaço toda semana

Deixe o seu comentário

Felipe de Jesus
Felipe de Jesus
- Editor e Administrador do portal do CulturalizaBH | - Jornalista/Colunista: Crítica Musical _______________________________________________________________________ Jornalista, Teólogo, Sociólogo, Letras (Literatura) e Bel. em Economia. Tem Mestrado em Comunicação Social: Jornalismo e Ciências da Informação, Doutorado em Ciências Sociais e atualmente cursa Direito. Apaixonado por música, colabora com rádios e portais falando sempre sobre álbuns, coberturas de shows e etc. Tem como hobbie comprar CDs e também vinis. "Minha paixão pela música brasileira me faz quase um pesquisador. Um amor que vem da adolescência" (Felipe de Jesus). _______________________________________________________________________ [ Siga o Instagram: @felipe_jesusjornalista ]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *