Música Resenha Resenhas Shows

Curumin, Tulipa, Anelis, Russo e Saulo fazem lindo show no Sesc Palladium

O Sesc Palladium recebeu no domingo (28/07) um show lindo, lindo demais, muito lindo! Não estou exagerando nem um pouquinho. Quem estava por lá pôde confirmar tudo ou até mais do que vou falar. 

 

 

Com um show de abertura belíssimo e impecável, Luan Nobat, apresentou suas composições profundas e reflexivas ao lado de sua também belíssima banda. Com casa lotada já nos primeiros minutos, por volta de 19h, o som deixava todos envolvidos. Um anúncio do que vinha a seguir. 

 

 

Nobat | Foto: Charles Douglas

 

 

Por volta de 20h e alguns minutos, o versátil músico Curumin, deu início à apresentação, ao lado de sua banda, que teve a missão de acompanhar também grandes músicos. No meio da cena, cantava e tocava bateria, em cima de um tablado. 

 

 

 

Anelis Assumpção foi a segunda a entrar. Linda e com uma voz de veludo, a cantora paulistana, soube preencher de forma linda e simples todos os espaços do palco. A seguir, o baiano Russo Passapusso, que também é integrante da banda BaianaSystem, dominou o seu momento, apresentando toda sua irreverência. 

 

 

Tulipa Ruiz foi a quarta artista a dividir a cena. Com sua presença de palco inconfundível, a cantora movimentou, ainda mais, o palco e a plateia. Saulo Duarte, o quinto a ser anunciado, já estava na ativa desde o início do show, já que também fazia parte da banda durante a apresentação. 

 

 

 

 

 

Todos já no palco | Foto: Fernando Henri

 

 

Com quase duas horas de show, os artistas cantaram e encantaram cada um de uma forma, mas todos em uma mesma sintonia de deixar qualquer um de olhos brilhando e com o corpo pulsando. 

 

 

 

Tudo terminou com um coro lindo de “Aria, areia branca… Que meu pai Ogum te proteja…” de “Ogum”, canção de Gilberto Martins. 

 

 

 

 

Viva os encontros! Viva momentos lindos! Viva à cultura! Viva à música brasileira! 

Deixe o seu comentário

Charles Douglas
Charles Douglas
Virginiano, metropolitano de Ibirité, mas com a vida construída em BH, jornalista recém formado e apaixonado pelos rolês culturais da capital mineira. Está perdido no mundo da internet desde quando as comunidades do Orkut eram o Culturaliza de hoje. Quando não está com a catuaba nas mãos, pelas ruas de Belo Horizonte, está assistindo SBT ou desenhos no Netflix.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *