Colunas Dicas Literaliza BH Literatura Livros

Ele salvou o meu verão – Victor Lopes

 

“Ele salvou o meu verão” é mais uma surpresa do aplicativo Amazon Kindle. Além de facilitar sua vida literária com e-books gratuitos ou a baixo custo, ainda há indicações para manter a leitura sempre em dia e eclética.

 

“Ele salvou o meu verão” é um e-book pequenininho, menos de 30 páginas que custou apenas R$1,99. É um romance gay, escrito por mais um dos jovens e talentosos autores da literatura nacional. Victor Lopes é publicitário, nasceu em São Paulo, em 1993. Sucesso na internet, Victor tem 3 livros em versão e-book, todos com a temática LGBT, provando que é possível fazer literatura de qualidade longe das grandes editoras.

 

O livro conta a história de amor entre os jovens Samuel e Renan. Samuel é um jovem divertido, que está no litoral em férias com a numerosa família, a propósito a interação entre eles é ótima e rende boas gargalhadas. Em um belo dia de sol, várias nadas pra fazer e um quase afogamento, Samuel conhece Renan, um jovem da capital paulista que também está na cidade para passar férias.

 

Renan salva Samuel do quase afogamento e também de um verão fadado ao ostracismo. É aquele típico romance de verão, em uma versão reduzida, divertida e muito fofinha. Alô Victor, pelo amor de Deus, libere mais 500 páginas dessa história.

 

É um livro que demonstra acima de tudo que o amor pode florescer em qualquer lugar, a qualquer momento, sem forçar a barra, de maneira super delicada e simples. Os dois tentam viver um romance, mas é claro que haverá alguns contratempos, até mesmo divertidos que impedirá o chamego imediato, mas quando acontece é lindo e muito bem escrito.

 

“O tempo sendo marcado até que estico o dedinho e na próxima vez que ele toca o chão nossos dedos se encontram e os segundos param. Acontece uma carícia entre nossos mindinhos. A areia entre nós como se ajudasse a nos unir.”

 

Samuel é gay assumido e conta com o apoio da família. Embora não tenhamos acesso a vida íntima do Renan (por isso a necessidade de querer mais do livro), fica perceptível que a família não sabe. Apesar do autor não trazer esse conflito, afinal é um livro com uma pegada bem leve, feito para se divertir lendo, a intimidade que ele cria entre os personagens e o leitor cabia essa fidelidade de abrir a vida do Renan, como fez com o Samuel. A propósito acompanhar os sentimentos e as incertezas do Samuel são tocantes.

 

O que eu mais gostei da história é que é um livro gente como a gente. Que viajam para a praia, ficam na casa de parentes, dormem em colchão no chão, comem pastel na praia e lidam com aquela famosa areia em todos os cantinhos do corpo. Os diálogos são simples, bem-humorados, com uso de gírias e expressões populares, comuns aos jovens, seu público-alvo.

 

Um amor de verão que está fadado ao fim junto com a estação, move o leitor nessa incerteza de final feliz para os dois. Eu amei demais. E torci muito por eles. Queria ser amiga deles e inclusive já sou seguidora do casal no Twitter @SamuelERenan Sim! Como se continuassem vivendo fora das páginas, matamos a saudade deles acompanhando várias curiosidades e aguardando ansiosamente os novos capítulos dessa história.

 

Esta coluna é publicada invariavelmente as segundas, porque às vezes o livro é bem grande (rs)

Envie seu e-mail para a colunista: [email protected]

Quer saber mais sobre literatura acesse: www.literalmenteuai.com.br

 

Deixe o seu comentário

Elis Rouse
Elis Rouse
Sou Elis, não sou Regina; sou do interior e amo a capital; sou jornalista, mas não trabalho em jornal; amo ler, sonho escrever; dicas vou dar, dicas quero receber; experiências vamos trocar; literatura brasileira vamos amar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *