Culturaliza Literatura Poesia

Poetiza BH: Kronos

Tu me querias
E como tempo
Doo
Só não sei dizer
Se a mim
Ou ao seu contentamento
por certo
Resta o rabisco
A pele já devastada
Arrancada do seio
De dentro
Onde escondia em súbito segredo,
Toda a composição das estações
Servia a si
Embaladora dos meus ais
Que sem blefe
Posto que nu
Arrastava meus olhos
E cego
Precipitado em vigília
Carregava nas costas
Indo e vindo
De cima
Abaixo
Em centenas de cômodos
Todos eles
Ausentes dos seus cheiros
Por onde me perdi pela primeira vez
Uma outra certidão
É quando o coração deixa de ver

E ama

 

Poema de Bernardo Nogueira

Foto: Wagner Correa

Instagram: Café de Imagens

Deixe o seu comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *