Colunas Literaliza BH Literatura Livros

De olhos fechados – Lavínia Rocha

A dica de hoje é da escritora mineira Lavínia Rocha que aos 11 anos já mostrou a que veio escrevendo seu primeiro livro “O amor em Barcelona”. Aos 20 anos, a autora já tem cinco livros publicados: “O amor em Barcelona” (2011), “De Olhos Fechados” (2014), “Entre 3 Mundos” (2015).  “Entre 3 Segredos” (2016), “Amores improváveis no colégio” (2016). Suas obras são voltadas para o público infanto-juvenil, por isso e  pela sua simpatia,  ela faz muito sucesso nas redes sociais e nas escolas. Eu conheci a Lavínia através da minha sobrinha Pollyana que simplesmente a adora kkk. Lavínia Rocha é a escritora homenageada no mês de outubro no site LiteralMente, Uai.

 

“De olhos fechados” é o segundo livro da escritora mineira Lavínia Rocha. Conta a história de Cecília uma adolescente de 15 anos, cega desde o nascimento, que vive na capital mineira com o pai, Renato, e a irmã mais nova, Luna. Um mistério com direito a sumiço do corpo envolve a morte da sua mãe. Cecília tem como melhor amiga a Bianca, uma menina doce, engraçada que namora Diego, aquele cara legal que adora dar livros em braile para Ceci (apelido de Cecília) ler.  Cecília é independente e ao lado do cão guia Dina, não deixa os desafios da vida te abalar. Ela super bem resolvida, consciente da sua deficiência, mas tem recebido alguns bilhetes enigmáticos e em braile com dizeres como, “Você não estará segura enquanto não seguir o seu caminho” e “você não vai poder dar as costas ao seu destino”, que a tem deixado assustada. E para completar o enigma, cada vez que lê os bilhetes, ela tem alguns flashes de imagens de locais desconhecidos.

Na escola, Cecília conhece Tiago, um novato que de cara, já no ônibus, se interessa por ela. E ela, claro, se interesse por ele também, porque a vida não é feita de mistério e aventura, tem que ter um romance pra fazer nosso coração bater mais forte. O Tiago é aquele crush literário, fofinho, compreensivo, cuidadoso, atencioso, que enfrenta até o preconceito da mãe (pasmem) para viver o seu amor. É ele quem vai ajudar Cecília a desvendar os mistérios dos bilhetes, e juntos vão descobrir que há muito mais por traz da morte da mãe da Cecília, em uma trama que ameaça até mesmo a vida nós belo-horizontinos.

Lavínia imprime um jeitinho bem mineiro de escrever uma fantasia que envolve vários pontos turísticos da cidade. Agora toda vez que passo pela Praça Sete fico esperando abrir uma passagem secreta em baixo do Pirulito. A escritora teve o cuidado de além de contar uma história leve, misteriosa e divertida, apresentar as dificuldades encontradas pelos deficientes visuais no dia a dia e principalmente como somos despreparados para lidar com eles. Essa sensibilidade me fez refletir e por isso quero ressaltar a importância da leitura deste livro para a conscientização de todos os leitores. “De olhos fechados” é um daqueles livros “utilidade pública” que deveria se tornar leitura obrigatória nas escolas.

Esta coluna é publicada aqui, todas as segundas!

Envie seu e-mail para a colunista: elisrouse@culturalizabh.com.br

 

Deixe o seu comentário

Elis Rouse
Elis Rouse
Sou Elis, não sou Regina; sou do interior e amo a capital; sou jornalista, mas não trabalho em jornal; amo ler, sonho escrever; dicas vou dar, dicas quero receber; experiências vamos trocar; literatura brasileira vamos amar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *