Cobertura Música Resenhas Shows

Festeja leva mais de 50 mil pessoas pro Mineirão!

No último sábado, tivemos a oportunidade de receber no Gigante da Pampulha mais um evento maravilhoso. O Festeja BH ficou marcado na história do Mineirão e no coração de quem esteve presente. Um dos grandes festivais de música do país, levou cerca de 60 mil pessoas para curtir os shows de Anitta, Maiara & Maraísa, Zé Neto & Cristiano, Henrique & Juliano, Marília Mendonça e Tomate no gramado do estádio que tanto amamos, além de comemorar os seus 52 anos. Já deu para sentir que o festival foi incrível, né?! Principalmente pros fãs de uma sofrência caprichada!

 

Abrindo com louvor e jogando nas nossas caras, minha musa inspiradora Anitta mostrou que se dá bem realmente com todo tipo de público. Teve muito funk/pop, sertanejo e ainda o novo sucesso “Will I See You”. Como que não chorar? 

A carioca mostrou todo seu gingado e colocou os fãs pra dançar seus grandes sucessos, como “Sim ou Não”, “Bang”, o hit “Paradinha” e a clássica “Movimento da Sanfoninha”. Haja corpo pra dançar tanto!

 

Maravilhosa! <3 Foto: Júlia Martins

 

Na sequência, foi a vez das gêmeas mais queridas do Brasil, Maiara & Maraísa, subirem ao palco. “Medo Bobo”, “10%”, “Sorte que cê beija bem” e tantos outros sucessos foram cantados em coro pelos fãs, mas o show não parou só no sertanejo. A dupla também cantou e dançou hits de funk do momento, animando a galera e não deixando ninguém ficar parado.

 

Muito fofas! Foto: Júlia Martins

 

Os terceiros a subirem no palco foram os carismáticos Zé Neto & Cristiano, que já chegaram arrancando suspiros da mulherada (inclusive o meu, com todo o respeito…). O show contou com os sucessos da dupla que a galera sabe de cor, como “Seu Polícia”, “Sonha Comigo” e “Cadeira de Aço”. As letras românticas embalaram os casais apaixonados e até mesmo quem não estava acompanhado. Os meninos provaram que todo o sucesso que vem fazendo é mais que merecido!

 

Que dupla, amigos. Que dupla. Foto: Júlia Martins

 

Em seguida, foi a vez da dupla Henrique & Juliano, que arrasta multidões e conquista corações por onde passa,  leva o público aos gritos e lágrimas. “Até Você Voltar”, “Vidinha de Balada”, “De trás pra frente” e tantos outros sucessos estiveram presentes nesse show que mexeu com nossos corações. Mas não parou por aí: os irmãos ainda conseguiram uma participação de Marília Mendonça, que estava curtindo o show nos bastidores, pra cantar a música “Flor e o Beija-Flor”,  que deixou gostinho de quero mais. Emoção do início ao fim! Impossível não amar <3

 

Quero chorar só relembrando esse show. Foto: Júlia Martins

 

E para dar continuação nesse festival maravilhoso, ninguém melhor que a musa da sofrência, Marília Mendonça. Uma das atrações mais esperadas da noite, que comprovou o motivo disso logo que subiu ao palco, com muita energia e carisma. A cantora empolgou a multidão com grandes sucessos, brincadeiras com o público e ainda arriscou versões de funks antigos. E quando você pensa que o show vai acabar, Marília puxa os “parabéns” para o Mineirão, com direito a homenagem, bolo no palco e a presença da diretoria do estádio.

 

Você quer sofrência? Foto: Júlia Martins

 

E para fechar com chave de ouro essa edição, o cantor Tomate fez o axé tomar conta do evento. O cantor apresentou músicas que o consagraram como um dos grandes nomes do axé no país num show pra lá de eletrizante. O festival já passava de dez horas de duração e o público ainda estava animadíssimo e o Mineirão lotado!

Saudades de outros festivais gigantes no Mineirão… Foto: Daniel Stone

 

Agora o que sobrou desse festival é saudade e a expectativa pra que no ano que vem seja melhor ainda!
Confira outras fotos desses artistas incríveis que encantaram a gente no Gigante da Pampulha.

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Deixe o seu comentário

Júlia Martins
Júlia Martins
Belorizontina, atleticana, 99% formada em Relações Públicas, mas aquele 1% quer fazer Jornalismo. Adepta de variados estilos musicais, não confia em quem não sofre ouvindo Belo e nem em quem não dança quando toca É o Tchan. Está acompanhando a evolução da internet desde a época do ICQ, do qual morre de saudades. Facilmente encontrada cantando Anitta ou sucessos antigos nos karaokês da cidade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *