Colunas Crítica Musical Culturaliza Destaque

Paul McCartney lança “McCartney III” com influências sonoras dos “últimos álbuns dos The Beatles e Wings”

Álbum sela a trinca de “McCartney I (1970)” e “McCartney II (1980)”; trabalho vendeu mais de 25 mil cópias fisicas na primeira semana; dele indico as faixas “Long Tailed Winter Bird”, “Find My Way”, “Pretty Boys”, “Women And Wives”, “Lavatory Lil”,  “Deep Deep Feeling”, “The Kiss Of Venus” e “Winter Bird / When Winter Comes”

 

Coluna: ‘Crítica Musical’
Jornalista | Colunista & Editor
Felipe de Jesus
Siga: @felipe_jesusjornalista 

 

Com uma discografia composta por 18 álbuns (carreira solo), fora “The Beatles” e “Wings”, Paul McCartney, um dos maiores nomes da música, acaba de surpreender os fãs! Isso, porque o eterno “Beatle” lançou “McCartney III (2020)”, álbum que sela a trinca começada com “McCartney I (1970)” e “McCartney II (1980)”. O trabalho que foi produzido por Paul durante o isolamento da pandemia, mostra toda sua maestria, já que ele praticamente gravou sozinho todos os instrumentos. Somente na primeira semana de lançamento o álbum vendeu mais de 25 mil cópias, fora os milhares de streamings.

 

McCarntney III em vinil. Álbum impulsionou as vendas de LP´s nos Estados Unidos no fim do ano de 2020. Foto: Ambrosia. 

 

O trabalho que tem 11 faixas, traz influências claras do fim dos “The Beatles e Wings”. Prova disso, é que na primeira faixa, “Long Tailed Winter Bird”, ouvimos um artista diferente, mas muito próximo do disco – “Paul McCartney – RAM (1971)”, ao qual ele exaltou violão e pianos na época em que ficou de férias com sua familia na fazenda. Aliás, canção gravada na mesma fazenda. Já em “Find My Way”, com direção de Roman Coppola, Paul toca magistralmente nos remetendo a música “Ob-La-Di, Ob-La-Da” – “The Beatles – White Álbum (1968)”.

 

Foto por Mary McCartney (via PaulMcCartney.com).

 

Com “Pretty Boys”, a impressão é que estamos escutando “Wild Life (1971)” dos Wings, que segue com “Woman Lives”. Na faixa “Lavatory Lil”, as guitarras se aproximam do disco – “Paul & Wings: Red Rose Speedway (1973)” que emenda em “Deep Deep Feeling”. Em seguida temos “Slidin”, “The Kisses Of Vênus”, “Seize The Day”, algo meio “Wings At The Speed Of Sound (1976)”, “Deep Down” e “Winter Bird / When Winter Comes” (minha preferida).

 

Avaliação

 

Em “McCartney III (2020)” voltamos ao tempo, como se estivéssemos revisitando sua obra. Do trabalho indico as faixas: “Long Tailed Winter Bird”, “Find My Way”, “Pretty Boys”, “Women And Wives”, “Lavatory Lil”,  “Deep Deep Feeling”, “The Kiss Of Venus” e “Winter Bird / When Winter Comes”. Dou cinco estrelas (máxima), pois pela paixão, Paul mostra que agradar os fãs é uma questão de honra, que aliás, ele faz muito bem. Escute!

 

 

 

Fotos: Paul McCartney | British GQ 
Até a próxima Crítica Musical.
A coluna é publicada neste espaço toda semana

Se você ainda não ouviu o álbum
“McCartney III”, confira!

 

Deixe o seu comentário

Felipe de Jesus
Felipe de Jesus
- Editor & Administrador [ Apoio no setor Administrativo e Financeiro ] - Redator & Coluna: Crítica Musical | Diretor do 'Grupo Conteúdo' - Agência de Notícias | Publicidade & Marketing Digital _______________________________________________________________________ - Apoio no Setor Jurídico [ F.J Associados & Assistência Jurídica - FJAAJ ] _______________________________________________________________________ Jornalista (FESBH), Publicitário (Instituto P.E.D), Relações Públicas (UIB), Teólogo (F.ESABI), Sociólogo (F.Polis das Artes) e Economista (USIP). Tem Ms. em Comunicação Social: Jornalismo e Ciências da Informação (UEMC) e Bel. em Direito (UNIESP-BH/FACSAL).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *