Culturaliza Destaque Música Resenhas Shows

Bituca e Tiago Iorc apresentaram show da mini turnê “Mais Bonito Não Há”

Nem a forte chuva que insistiu em cair no último domingo, 3, ofuscou o brilho do show. Milton Nascimento e Tiago Iorc subiram ao palco e mostraram que essa parceria precisava muito existir. Com uma sintonia admirável, os dois artistas apresentaram o show Mais Bonito Não Há, com um repertório recheado de belas canções e que incluiu clássicos eternizados na voz de Bituca, músicas que marcaram o Clube da Esquina e canções de Iorc.

 

A plateia reunida no recém-inaugurado anfiteatro do Mineirão cantou junto, a empolgação e energia era contagiante. No palco, entre histórias e canções, os dois artistas mostraram sincronia, cumplicidade e admiração. Tiago contou para o público como foi seu primeiro contado com Milton e arrancou gargalhadas ao relatar suas tentativas de impressionar Bituca e causar uma boa primeira impressão.

 

Num formato voz e violão, “Amei te Ver”, “Ponta de Areia”, Dia Especial” e “Caçador de Mim” foram algumas das canções apresentadas pela dupla. Quem esteve no show, teve a oportunidade de presenciar as vozes de Bituca e Tiago Iorc se alternarem entre as músicas e ouvir canções conhecidas na voz de um, cantadas pelo outro. É claro que a música que deu tom a essa parceria não podia faltar. Na delicadeza de “Mais Bonito Não Há”, o show se encaminhava para o fim. E quando esse fim chegou, a surpresa foi ouvir Milton Nascimento entoando uma das canções mais conhecidas de seu repertório. “Maria, Maria” ecoou pelo estádio com Bituca à frente e com a plateia de pé cantando junto.

 

Um abraço demorado entre os artistas, muitos agradecimentos ao público e uma plateia em êxtase. Foi assim que o anfiteatro do Mineirão se despediu de um show emocionante que deixou aquele gostinho de quero mais!  

Deixe o seu comentário

Bárbara Andrade
Bárbara Andrade
Mineira de BH e leonina nascida em agosto, Bárbara é uma jornalista apaixonada pelas palavras. Seu humor pode ser definido por meio de trilhas sonoras. Em seus melhores dias não podem faltar artistas como David Bowie, Raul Seixas, Cazuza e Amy Winehouse, além de sua banda favorita: The Smiths. A literatura é seu passatempo predileto e, em momentos de inspiração, essa garota de 23 anos se arrisca a escrever suas próprias histórias. Viciada em séries e filmes, Bárbara acredita que quase tudo nesta vida se resolve com uma boa caneca de café (com açúcar, por favor).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *