Culturaliza Dança

Cultura do Guetto cria campanha para contribuir com a continuidade do grupo; confira

Nesse cenário de pandemia o Grupo mineiro de danças urbanas Cultura do Guetto suspendeu suas atividades. Sendo assim, foi criada uma campanha de contribuição coletiva recorrente, intitulada “Cultura do Guetto em Ação” que possui três metas a serem alcançadas. Para apoiar esse projeto mensalmente você pode acessar o site da campanha.

O Cultura do Guetto nasceu no ano de 2006 e desde então tem se dedicado a realizar trabalhos artísticos e oferecimento gratuito de formação em danças urbanas para jovens, em sua maioria em situação de vulnerabilidade social. Desde 2017, o grupo possui uma sede própria, um galpão alugado de 550 m². Antes da pandemia não era difícil encontrarmos os dançarinos do grupo realizando apresentações de dança para arrecadação nos semáforos de BH. Após as metas alcançadas, o Cultura do Guetto tem por objetivo ampliar suas atividades artística e de formação para crianças do aglomerado da Pedreira Prado Lopes e bairros adjacentes.

Quais são às três metas a serem alcançadas?

1ª Meta – é referente às despesas básicas  para o funcionamento da  sede do grupo (água, luz, aluguel, internet, material de limpeza e escritório);

2ª Meta – além de ajudar com a primeira, ajudará também nas despesas de deslocamento para os ensaios e alimentação dos dançarinos (as) do grupo;

3ª Meta – além de contribuir com a primeira e a segunda meta, também contribuirá para que os professores(as) do grupo continuem engajados a dedicarem o seu tempo e seus conhecimentos na formação e  educação de todos os integrantes.

Para mais informações acesse:

Sitewww.grupoculturadoguetto.com.br
Instagram:@culturadoguettooficial
Facebookwww.facebook.com/CulturaDoGuetto
Link da campanha: https://evoe.cc/cultura-do-guetto-em-acao

 

Assista o vídeo da campanha:

Deixe o seu comentário

Maristela Chaves
Maristela Chaves
Admiradora da vida, formada em Comunicação Social com enfase em Jornalismo, leitora assídua, romancista de corpo e alma, autora anônima de romances e fotógrafa profissional. Apaixonada por Beagá, pelas montanhas que a cercam e sua cultura, mineira da cabeça aos pés que fala Uai e Trem o tempo todo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *