Destaque Música Resenha Resenhas

Planeta Brasil e BH Dance Festival: Uma união que fez o Mineirão inteiro tremer;

No último sábado (25/01), a Esplanada do Mineirão e, pela primeira vez, o Gramado receberam o Festival Planeta Brasil 2020 que vem se consagrando a cada edição como o maior festival do estado. Neste ano, o BH Dance Festival também integrou a programação fazendo com que o público ocupasse, de fato, toda a estrutura do estádio. 

 

Com cinco palcos espalhados em vários pontos estratégicos, o evento é de encantar quem vai pela primeira vez ou quem já acompanhou outras edições. Sempre tem novidade! As maratonas para mudanças de palcos atrás de seu artista favorito é sempre interrompida por algum stand ou ambiente legal que te faz querer parar para tirar alguma foto, haha. 

 

Mas além de tirar fotos e se distrair, o objetivo principal do evento é ter grandes vivências por meio da música e isso, com certeza, o line fez muito bem. Começamos no Palco Norte, com Melim, que abria aquele espaço debaixo de um sol escaldante que tirava toda preocupação com a chuva que estava ameaçando cair a qualquer momento. A banda que é formada pelos três irmãos super simpáticos, embalou a multidão com seus hits e covers. 

 

Os três irmãos no palco | Foto: Fernando Henri  – Pin Fotografia

 

Fazendo a nossa primeira maratona, no Palco Sul, conferimos de pertinho o novo show de Jão, que tocou em um palco e um público bem menor na edição passada. Agora em um dos maiores espaços do festival, o cantor viu o público alinhado com suas antigas e novas músicas e até aproveitando o momento para fazer um pedido de namoro. O cantor ficou impressionado!

 

O novo casal | Foto: Fernando Henri – Pin Fotografia

 

Duda Beat dividiu o palco e fizeram uma dupla de sofrência do pop P-E-R-F-E-I-T-A! Os dois cantaram suas músicas juntos e Duda teve seu momento sozinha quando cantou “Chapadinha na Praia” e “Meu Jeito de Amar”. Fico encantado com a fofura dessa mulher!

 

Esses fofos | Foto: Fernando Henri – Pin Fotografia

 

Voltando para o Palco Norte, Anavitória já incendiavam uma multidão com as suas apaixonantes e melódicas músicas. A leveza das duas no palco é de se impressionar e de se envolver. Quem já viu algum show dessas meninas sabe do que eu estou falando. Mesmo sem conhecer a maioria das músicas, você se sente bem em estar ali só de vivenciando aquele momento. 

 

Lindas, né?! | Foto: Fernando Henri – Pin Fotografia

 

 

O cantor Vitor Kley foi o convidado das meninas e ficou um bom tempo sozinho no palco envolvendo o público e chamando ainda mais sol para aquela tarde de sábado. Nessa hora, ninguém mais lembrava que tinha comprado uma capa de chuva, hahaha. Quando os três dividiram o palco, o carinho e amor foi transbordado.

 

E o sol não esqueceu dele mesmo | Foto: Fernando Henri – Pin Fotografia

 

 

E lá vamos nós, outra vez, para o Palco Sul, onde já finalizava o show do rapper que é a sensação do momento, Djonga. Suas músicas contam realidades e traz à tona grandes e importantes reflexões. É isso que ele passa em sua apresentação: emoção, vibração, justiça e resistência. Sua voz consegue entrar em lugares inimagináveis. Durante as sua apresentação, rolou um minuto de silêncio em homenagem às vítimas da Tragédia de Brumadinho que completou um ano naquele mesmo dia. 

 

O Djongador | Foto: Fernando Henri – Pin Fotografia

 

 

Continuamos no mesmo palco, pois aguardávamos ansiosamente o grande Caetano Veloso, que subiu com seu jeitinho simples e descontraído. Com um show em formato acústico, fez grande parte da Esplanada cantar e se emocionar com seus clássicos. A sensação de estar ali, tão perto, é única e de gratidão. Que homem! 

 

Ícone! | Foto: Fernando Henri – Pin Fotografia

 

Já com as pernas doces de tanto andar, vimos o show do Vitão no Locals Only, um palco menor localizado bem no meio da Esplanada. Se a estrutura já era pequena, com ele lá ficou ainda menor. O que vimos foram diversos fãs enlouquecidos com todas as músicas decoradíssimas. Só acho que na próxima edição, Vitão precisa de um palco maior, hein? haha.

 

Tá calor, né?! | Foto: Fernando Henri – Pin Fotografia

 

 

Como já era imaginado, é extremamente impossível acompanhar de tudo no evento com somente duas pessoas na equipe, maaas, não esquecemos na parte de música eletrônica, porque uma fritadinha não faz mal a ninguém, não é mesmo? HAHAHA

 

No gramado, acompanhamos um pouco do que rolava e ficamos encantados com toda estrutura interna. Por lá rolou grandes nomes como Vintage Culture e Cat Dealers. Já no outro palco acompanhamos os Djs Devochka e Vegas para finalizar a noite. 

PS: Se você foi fotografado em algum momento pelo Fernando, busque suas fotos na nossa página no Facebook! É só clicar aqui. Ah, e se você foi entrevistado por mim, fique atento, pois em breve sai o nosso vídeo, ok?!

Até a próxima! 

Deixe o seu comentário

Charles Douglas
Charles Douglas
Virginiano, metropolitano de Ibirité, mas com a vida construída em BH, jornalista recém formado e apaixonado pelos rolês culturais da capital mineira. Está perdido no mundo da internet desde quando as comunidades do Orkut eram o Culturaliza de hoje. Quando não está com a catuaba nas mãos, pelas ruas de Belo Horizonte, está assistindo SBT ou desenhos no Netflix.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *