Analise Brasil Colunas Crítica Musical Culturaliza Minas Gerais Música

Harry Styles traz influência musical dos anos de 1970/80 em seu novo álbum

 Trabalho chega com os sucessos “Watermelon Sugar”, “Adore You”,
“Lights Up”, “Cherry”, “Falling” e “Canyon Moon” 

Coluna: ‘Crítica Musical’
Jornalista | Colunista & Editor
Felipe de Jesus
Siga: @felipe_jesusjornalista

Para se manter no cenário musical, é preciso cada vez mais se reinventar. No entanto, muitos artistas atuais, de certa forma, utilizam fórmulas antigas, como é o caso do cantor Harry Styles”. Prova disso, foi que o cantor lançou o seu segundo álbum intitulado por “Fine Line (2019)” com influências de 1970/80. O resultado? Sucesso nas paradas musicais!

Dando abertura ele traz a faixa “Golden”. A canção já mostra que o cantor queria mudar sua sonoridade, tanto que ela tem traços bem próximos daqueles hits dos anos de 1980. Com “Watermelon Sugar” (hit dispardo), desde a abertura com toques de guitarra e batidas, parece que estamos em uma pista de dança. Com “Adore You”, mais uma vez Harry Styles surpreende pela sonoridade.

Em “Lights Up” (uma das faixas que mais gostei), o artista consegue agradar pela tranquilidade e pelo embalo da canção, que aliás é muito bem produzida. Na faixa “Cherry”, os toques de bandolim já agradam os ouvidos e a faixa também é ótima liderando a lista de românticas do álbum.

 

O álbum “Fine Line (2019)” no formato vinil: além da sonoridade voltada aos anos de 1970/80, o cantor também apostou no formato físico em vinil para agradar ainda mais os fãs.

 

Em “Falling” o cantor da sequência ao som da faixa anterior, mas agora com pianos dando o tom. O refrão é forte e mostra que o cantor Harry Styles está afinadíssimo! Com “To Be So Lonely”, temos uma amostra de que ele escutou muitas bandas e se não me falha, até o grupo “Wings (Paul McCartney)”. Assim ele segue com “She” que também mantém a mesma sonoridade meio Wings e chega em “Sunflower”, música meio Reggae. Com “Canyon Moon” o violão aparece bem forte e da mesma forma ele segue com “Treat People Whit Kindness” e fecha com a ótima “Fine Line” (que intitula o álbum).

Avaliação 

 

Deste novo trabalho indico as faixas,“Watermelon Sugar”, “Adore You”, “Lights Up”, “Cherry”, “Falling” e “Canyon Moon”, que são ótimas! Dou cinco estrelas (máxima), pois, se em “Harry Styles (2017)”, seu 1° álbum, o artista trouxe uma ótima mescla de Folk e Rock, em “Fine Line (2019)” ele aposta no “Pop Rock Clássico” mostrando que tem mais cartas na manga do que imaginávamos! Se você ainda não ouviu o álbum, escute. Disponível no formato físico e nas plataformas digitais.

 

Fotos: Harry Styles
Até a próxima Crítica Musical.
A coluna é publicada neste espaço toda semana.

 

Se você ainda não ouviu “Fine Line (2019)” do
cantor Harry Styles, confira! 

 

Deixe o seu comentário

Felipe de Jesus
Felipe de Jesus
- Editor & Administrador (financeiro) do portal do CulturalizaBH/Portal UAI | - Jornalista/Colunista: Crítica Musical. _______________________________________________________________________ Jornalista & Publicitário (FESBH), Teólogo (F.ESABI), Sociólogo e Letras (F.Polis das Artes) e Economista (UNIP). Tem Mestrado em Comunicação Social: Jornalismo e Ciências da Informação (UEMC), Doutorado (especialização profissional LIVRE) em Ciências Sociais Políticas (USIP) e atualmente cursa Direito (UNIESP-BH/FACSAL). Apaixonado por música, colabora com rádios e portais falando sempre sobre álbuns, coberturas de shows e etc. Tem como hobbie comprar CDs e também vinis. "Minha paixão pela música me faz quase um pesquisador. Um amor que vem da adolescência" (Felipe de Jesus). _______________________________________________________________________ [ Siga o Instagram: @felipe_jesusjornalista ]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *