Analise Brasil Colunas Crítica Musical Culturaliza Música Resenha Resenhas

Liam Gallagher mantêm viva a chama do “Oasis” em “Why Me? Why Not.” seu segundo álbum solo

“Shockwave”, “No Of Us”, “Once”, “Now That’ I Have Found You”, “Be Still” e “Alright Now” são alguns hits do novo trabalho

 

  • Coluna: ‘Crítica Musical’
    Jornalista | Colunista:
    Felipe de Jesus
    Siga: @felipe_jesusjornalista

 

A primeira impressão que tive ao ouvir a música “No Of Us” era de que estava escutando uma nova canção do Oasis, no entanto, me surpreendi ao saber que a faixa era de Liam Gallagher e de seu mais novo trabalho “Why Me? Why Not.(2019)”, que sucede o disco “As You Were (2017)”. O álbum tem traços fortes da “era de ouro do Oasis” em “Definitely Maybe (1994)”, “(What’s the Story) Morning Glory? (1995)”, “Be Here Now (1998)”, “Standing On The Shoulder os Giants (2000)” e até mesmo de “Don’t Believe the Truth (2005)”, um dos ótimos álbuns do grupo. Se o fã esperava com ansiedade um novo trabalho do Oasis (que por enquanto deve demorar a sair por causas das brigas dos irmãos Gallagher), o segundo álbum solo de Liam Gallagher sela a paz, pelo menos com a sonoridade eterna e ótima do Oasis. Prova disso, é que o álbum “Why Me? Why Not. (2019)” teve 98% de aprovação dos usuários do Google.

 

Já na primeira canção “Shockwave”, vemos a forte influência do Oasis. As guitarras e a gaita ao fundo dão o tom para a faixa. Além disso, o vocal de Liam Gallagher ajuda demais, já que está em perfeita afinação. O refrão é arrebatador. Dando sequência ele traz a sensacional “One Of Us”, faixa que nos dá a total certeza de que o som Oasis está mais presente do que nunca. Impossível não se render a canção que traz batidas, violão e sonoridade muito próxima do que já vimos em “Definitely Maybe (1994)” e até mesmo em “Standing On The Shoulder Of Giants (2000)”, para mim, uma das grandes obras do Oasis. Na canção “Once”, mais um hit disparado do novo trabalho, Liam Gallagher traz toda a sua potência musical, apostando em uma letra linda e um refrão incrível. A música é tocante e uma das minhas favoritas do novo trabalho. Com “Now That I’ Ve Found You” temos a certez de que Liam Gallagher bebeu da fonte do Oasis, tanto na época de “Definitely Maybe (1994)”, quanto de “(What’s the Story) Morning Glory? (1995)”. O refrão é convidativo para as pistas.

 

Com “Halo” o cantor traz pianos e corais de fundo que agradam já na primeira audição. Mais uma faixa ao qual Liam Gallagher acerta de vez na escolha em Why Me? Why Not. (2019)”. Em “Why Me? Why Not”, faixa que intitula o álbum, Liam Gallagher agrada pela sonoridade, já que as guitarras e a baterias estão em total sintonia. Mais uma vez o vocal do cantor agrada pelo alcance das notas. Sensacional! “Be Still”, é com toda certeza mais uma faixa que parece que estamos entrando para a “era” de ouro do Oasis. A música caberia muito bem em “Be Here Now (1998)”. Dando uma ótima sequência a “Why Me? Why Not (2019)”, o cantor chega com “Alright Now”, disparadamente mais um sucesso indiscutível do novo trabalho. Além do refrão ser ótimo, a música parece uma viagem musical aos anos de 1960. As guitarras estão incríveis e o som da canção é uma delicia de se ouvir. Um tiro certeiro!

 

Em “Meadow”, Liam Gallagher parece ter viajado na ótima discografia de Paul McCartney na época do seu grupo “Wings (1970 | 1979)”. Além do vocal mais tranquilo e com efeitos, a música traz na sonoridade um violão muito bem dedilhado e batidas mais tranquilas. Com “The River” as guitarras e o vocal impecável do cantor tomam conta da canção que parece aquelas músicas para pegar estrada, sabe? É ótima! As guitarras são marcantes e o refrão ainda mais. Com “Gone” Liam Gallagher nos transporta para aqueles hits de “(What’s the Story) Morning Glory? (1995)”. É mais uma faixa de destaque do álbum. “Invisible Sun” também é aquela música que nos faz viajar na letra e também nas batidas. Talvez a menos expressiva do álbum, mas forte! Em “Misunderstood”, ele traz mais uma balada indiscutível. O refrão e seu vocal mais tranquilo dão o tom para a canção. Para fechar com maestria ele traz “Glimmer”, música bem ao estilo “The Beatles” em 1963, mas claro, ao estilo inconfundível de Liam Gallagher. É ótima!

 

Avaliação ||

 

Ver o cantor Liam Gallagher em total produção musical é a prova de que ele não abandonou os fãs mais assíduos do Oasis. Claro que os tempos são outros e falamos da era digital, onde os álbuns são consumidos pelo público rapidamente e as vezes sem a total assimilação. No entanto, em “Why Me? Why Not. (2019)”, o cantor consegue prender a atenção do ouvinte e principalmente fã do Oasis do início ao fim, já que a sonoridade se aproxima bastante dos trabalhos da banda. Do álbum indico as canções: “Shockwave”, “No Of Us”, “Once”, “Now That’ I Have Found You”, “Be Still”, “Alright Now”, “Meadown”, “The River”, “Invisíble Sun” e “Misunderstood”, que é ótima. Avalio com cinco estrelas máxima, pois em “Why Me? Why Not. (2019)”, Liam Gallagher mostra que os dois anos fora dos holofotes após o primeiro álbum solo, serviram para ele voltar “ainda” mais pronto ao cenário musical. Se ainda não ouviu o álbum, escute, pois serão quase 52 minutos muito bem gastos. Até a próxima Crítica Musical. Álbum disponível no formato físico e nas plataformas digitais.

 

 

 

 

 

Fotos: Liam Gallagher
Até a próxima Crítica Musical.
A coluna é publicada neste espaço toda semana

 

 

Deixe o seu comentário

Felipe de Jesus
Felipe de Jesus
- Editor e Administrador do portal do CulturalizaBH | - Jornalista/Colunista: Crítica Musical _______________________________________________________________________ Jornalista, Teólogo, Sociólogo, Letras (Literatura) e Bel. em Economia. Tem Mestrado em Comunicação Social: Jornalismo e Ciências da Informação, Doutorado em Ciências Sociais e atualmente cursa Direito. Apaixonado por música, colabora com rádios e portais falando sempre sobre álbuns, coberturas de shows e etc. Tem como hobbie comprar CDs e também vinis. "Minha paixão pela música brasileira me faz quase um pesquisador. Um amor que vem da adolescência" (Felipe de Jesus). _______________________________________________________________________ [ Siga o Instagram: @felipe_jesusjornalista ]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *