Analise Colunas Crítica Musical Culturaliza Música Resenha

Goo Goo Dolls: “Miracle Pill” sela os 32 anos de carreira e mostra que o grupo está atento às mudanças sociais

Novo álbum se assemelha aos trabalhos da banda nos anos de 1990; “Indestructible”, “Fearless”, “Miracle Pill”, “Lights”, “Lost”, “Over You” e “Think It Over” são os destaques; voz de John Rzeznik continua intacta

 

Em entrevista cedida há uns cinco anos, Xororó (da dupla Chitãozinho e Xororó) foi questionado sobre como conseguia manter a sua afinação vocal intacta. Para o repórter ele apenas respondeu que sua ferramenta de trabalho era sua voz e que por isso, procurava sempre cuidar dela com muita atenção. O resultado? Anos de muito sucesso! Pelo visto, outros artistas também se preocupam com isso, como é o caso de John Rzeznik (vocalista e guitarrista) do “Goo Goo Dolls” e prova da sua dedicação está em “Miracle Pill (2019)”, novo álbum do grupo. Com a mesma essência musical, a banda formada por ele e Robby Takac (baixista) e que está há 32 anos na estrada, traz baladas e canções Pop que reforçam que eles não ficaram famosos apenas por “Iris”, hit estourado no ano de 1998, mas por uma série de outros sucessos. O álbum já teve 90% de aprovação dos usuários do Google.

 

Com a pegada Pop/Rock de sempre, mas de olho nas mudanças sociais, o Goo Goo Dolls abre “Miracle Pill (2019)” com “Insdestructible”, canção que prova que eles realmente são indestrutíveis no cenário musical. A voz de John Rzeznik está incrível e a impressão é que estamos ouvindo algum hit do grupo nos anos de 1990, talvez do álbum “Superstar Car Wash (1993)”. Além das batidas, o baixo e a guitarra entram em total consonância. Em seguida eles trazem “Fearless”, mais hit do novo trabalho. A canção é perfeita para as rádios e o refrão é, de fato, “chiclete” e bem fácil de se gravar. Na música “Miracle Pill” (que nomeia o álbum), o grupo mais uma vez deixa claro que quando o assunto é hit, eles sabem como agradar o ouvinte. A canção tem traços do álbum “Dizzy Up the Girl (1998)” e se eles queriam trazer essa impressão para os ouvintes, conseguiram.

 

Já em “Money, Fame & Fortune” eles mantêm a mesma linha musical, algo também bem próximo do álbum “Gutterflower (2002)”. A canção que é bem Pop, traz batidas leves e guitarras meio distorcidas. Em sequência “Step In Line” traz a sonoridade já vista no álbum “Magnetic (2013)”, com Robby Takac (baixista) nos vocais. A canção também tem elementos eletrônicos com sons de órgãos e guitarras ao fundo. Algo mais tranquilo e bem dedilhado. Em minha opinião, essa é a música menos expressiva do álbum. Com “Over You”, o grupo mais uma vez aposta nos sons mais lentos. Essa é uma das canções que mais gosto desse trabalho já que emenda em “Light”, outro ótimo hit de “Miracle Pill (2019)”. Com “Lost”, o Goo Goo Dolls dá abertura ao violão meio Country. Essa canção caberia muito bem no álbum “A Boy Named Goo (1995)”, se não fosse nova.

 

Assim eles seguem com “Life’s a Message” que também entra para hall das baladas do novo trabalho. Como a própria letra diz, “A vida é uma mensagem”. É ótima! Para fechar o álbum com maestria eles trazem “Think It Over”, mais uma canção marcante do novo trabalho e que reflete de verdade no estilo musical do grupo.

 

Avaliação

É muito bom poder ouvir um álbum que te dá a sensação de saber como vai começar e como vai terminar. Foi isso que senti em “Miracle Pill (2019)”, novo trabalho do Goo Goo Dools. Além da voz de John Rzeznik ser a mesma (incrivelmente) até hoje, as músicas mostram que eles não perderam o caminho das pedras. Deste sensacional álbum indico: “Indestructible”, “Fearless”, “Miracle Pill”, “Lights”, “Lost”, “Over You” e “Think It Over” que são ótimas. São 32 anos de carreira e nesse tempo, o grupo deixa claro que a banda soube aproveitar todas as oportunidades e, delas, fazer trabalhos incríveis, como, “Miracle Pill (2019)”. Se você conhece o grupo, mas ainda não ouviu o novo trabalho da banda, não perca mais tempo, pois quando o “som é bom”, merece ser escutado várias vezes. Álbum disponível no formato físico e nas plataformas digitais.

 

 

Fotos: Goo Goo Dolls
Até a próxima Crítica Musical.
A coluna é publicada neste espaço toda semana

Deixe o seu comentário

Felipe de Jesus
Felipe de Jesus
- Editor & Administrador (financeiro) do portal do CulturalizaBH/Portal UAI | - Jornalista/Colunista: Crítica Musical. _______________________________________________________________________ Jornalista (FESBH), Teólogo (F.ESABI), Sociólogo e Letras (F.Polis das Artes) e Economista (UNIP). Tem Mestrado em Comunicação Social: Jornalismo e Ciências da Informação (UEMC), Doutorado Prof. em Ciências Sociais (USIP) e atualmente cursa Direito (UNIESP-BH). Apaixonado por música, colabora com rádios e portais falando sempre sobre álbuns, coberturas de shows e etc. Tem como hobbie comprar CDs e também vinis. "Minha paixão pela música me faz quase um pesquisador. Um amor que vem da adolescência" (Felipe de Jesus). _______________________________________________________________________ [ Siga o Instagram: @felipe_jesusjornalista ]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *