Colunas Crítica Musical Culturaliza Música Resenha

Tiago Iorc mostra que não perdeu o caminho das pedras em ‘Reconstrução’ seu quinto e novo álbum

Álbum traz “Desconstrução”, “Hoje Lembrei do Teu Amor”, “Deitada Nessa Cama”, “Fuzuê”, “Laços”, “Tua Caramassa” e “Bilhetes” que são alguns dos hits

 

Será que para se manter nas paradas de sucesso é preciso de fato estar diariamente nas Redes Sociais? Para alguns cantores pode até ser que sim, mas para outros, apenas a sua obra musical já é capaz de fazê-lo se manter, mesmo que distante, em alta na memória e na Playlist dos fãs. Com Tiago Iorc a história foi bem assim e após 1 ano fora dos holofotes da mídia e da visão dos fãs, o cantor que já está com um pouco mais de 10 anos de carreira, voltou surpreendentemente com “Resconstrução (2019)”, um álbum sutil e muito bem trabalhado, tanto nas canções quanto em sua temática. O álbum foi lançado pela Iorc Produções sob distribuição da Universal Music.

 

Com 13 faixas, “Reconstrução (2019)” é o quinto trabalho do cantor brasiliense. O álbum chegou às plataformas de forma enigmática, sem pronunciamento mostrando que ele precisava “como já diz o próprio nome do álbum” reconstruir algo em si mesmo. O novo álbum mostra que Tiago Iorc se reservou fora das redes, mas cercado de boas referências musicais. A primeira faixa “Desconstrução”, faz uma referência clara a canção “Construção”, de Chico Buarque, do álbum “Construção (1971)”. Se no clássico de Chico Buarque os versos se encerram com palavras proparoxítonas, aqui os versos de Tiago Iorc tem oxítonas como palavras derradeiras e fortes.

 

Já na segunda faixa “Hoje Lembrei do Seu Amor”, Tiago Iorc mostra para os fãs que algumas coisas mudaram de verdade em sua vida, mas outras nem tanto. A música traz um pouco do estilo já empregado no álbum “Troco Likes (2015)”. Com a canção “Deitada Nessa Cama” o artista traz certa sensualidade na letra e um reflexo de tamanha maturidade e de seu afastamento midiático. Uma letra linda e bem forte. Com “Fuzuê” além do belo violão, ele brinca com a letra que traz bastante suingue. A música “Faz” também segue essa linha, algo mais voltada aos relacionamentos e ao romantismo do artista.

 

Com “Tangerina” (uma das melhores canções e para mim um grande hit do álbum), Tiago Iorc fala um pouco sobre as questões da depressão. Uma letra bem forte e distante do que até então ele já havia escrito. “Laços” é linda e mais uma canção forte do álbum, onde o artista traz ‘talvez’ uma breve reflexão de sua vida. Algo até bem próximo do que os fãs já viram no álbum “Zezki (2013)”. Na música “Nessa Paz eu Vou” ele também mostra que a vida precisa sempre de um momento mais tranquilo e longe das coisas que fazem parte da vida agitada. Com “Tua Caramassa” o violão de Tiago Iorc continua forte e muito bem dedilhado. A letra mantém o mesmo estilo, a música já mostra ser mais um grande hit do artista.

 

“Me Tira Pra Dançar” também traz o belo violão e batidas muito tranquilas. A voz suave do cantor dá o tom para a canção. Mais uma música que carrega certa influência da MPB. Chico Buarque com certeza foi inspiração para essa canção. Em seguida ele chega com “A Vida Nunca Cansa”, mais uma música forte que leva a “Bilhetes”, uma canção ótima e que mostra que a esperança é a melhor saída para seguir em frente. Para fechar o álbum ele traz a música “Sei”, que traz toda uma reflexão sobre um momento fora de tudo que cerca o mundo. Uma canção forte e com um instrumental muito bem trabalhado.

 

Avaliação

As canções de “Resconstrução (2019)”, novo álbum de Tiago Iorc se debruçam sobre assuntos e estilos já visitados anteriormente nos álbuns “Umbilical (2011)”, “Zezki (2013)” e “Troco likes (2015)” No entanto, o disco é trabalhado com ênfase em temas romanticos, agora embalados por arranjos mais densos e tranquilos. Com o mesmo tom poético, Tiago Iorc traz as belas canções, “Descontração”, “Hoje Lembrei do Teu Amor”, “Deitada Nessa Cama”, “Fuzuê”,  “Laços”, “Tua Caramassa” e “Bilhetes”, que indico para o fã ouvir sem sombras de dúvidas. Avalio com cinco estrelas (máxima), pois mesmo sendo lançado sem aviso prévio, Tiago Iorc surpreendeu os fãs não apenas pelo sumiço de 1 ano e pelo ressurgimento do nada, mas pelas letras reflexivas e o melhor, pela sua poesia. Além disso, pela força para escrever belas canções que nos fazem pensar que mesmo com problemas, é possível seguir em frente. Tiago Iorc mostra com toda a certeza que não perdeu o caminho das pedras em “Reconstrução (2019)” seu quinto álbum de carreira. Vale a pena escutar o novo trabalho que já está disponível nas plataformas digitais. 

 

Até a próxima Crítica Musical.

Crítica Musical é publicada neste espaço toda quinta-feira.

Deixe o seu comentário

Felipe de Jesus
Felipe de Jesus
- Editor & Administrador (financeiro) do portal do CulturalizaBH/Portal UAI | - Jornalista/Colunista: Crítica Musical. _______________________________________________________________________ Jornalista & Publicitário (FESBH), Teólogo (F.ESABI), Sociólogo e Letras (F.Polis das Artes) e Economista (UNIP). Tem Mestrado em Comunicação Social: Jornalismo e Ciências da Informação (UEMC), Doutorado (especialização profissional LIVRE) em Ciências Sociais Políticas (USIP) e atualmente cursa Direito (UNIESP-BH/FACSAL). Apaixonado por música, colabora com rádios e portais falando sempre sobre álbuns, coberturas de shows e etc. Tem como hobbie comprar CDs e também vinis. "Minha paixão pela música me faz quase um pesquisador. Um amor que vem da adolescência" (Felipe de Jesus). _______________________________________________________________________ [ Siga o Instagram: @felipe_jesusjornalista ]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *