Cinema Destaque

BH ganha o Espaço Cultural Filmes de Rua; a inauguração é nesta terça (12/03)

Todos os dias vemos nas ruas da cidade jovens em situação de rua carentes de educação, cultura e de alimentação. A cena real é triste e o pouco realizado pode ser muito em suas vidas. Por isso, desde 2010, o projeto “Filmes de Rua” promove uma certa mudança na vida desses jovens! O cinema passa a fazer parte de suas vidas, ao produzirem e gravarem seus próprios filmes. 

 

Criado por Joanna Ladeira, o projeto volta à criação artística, como também à escuta e acolhida dessa parcela da população como ponto de fortalecimento da rede sócio assistencial, da promoção da cidadania e construção da autonomia desse público. Sendo assim, um território livre de conversas sobre a cidade e a violência, o racismo, o machismo, a LGBTfobia, a proteção da criança e do adolescente, a Saúde, a Educação e a Cultura.

 

 

Equipe do projeto Filme de Rua | Foto: Bruno Figueiredo

 

 

Expansão 

 

Com uma visão de atrair ainda mais jovens, o projeto “Cinema de Rua” foi contemplado pelo Rumos Itaú Cultural, um dos maiores editais privados de financiamento de projetos culturais do país, e, por isso, inaugura nesta terça (12/03) o Espaço Cultural Filme de Rua, para a prática do audiovisual e produção artística de jovens em situação de rua na cidade. 

 

 

O Espaço Cultural será inaugurado com o objetivo de valorizar, nessa programação, a produção cinematográfica não comercial e independente de Belo Horizonte e outras cidades do Brasil e do exterior. O local reunirá, ainda, uma produtora, grupos de trabalho e discussão na área do cinema, encontros e intercâmbios com iniciativas afins. A partir de 15 de março, o espaço começa a receber sessões de cinema abertas ao público

 

 

Os trabalhos 

 

 

A iniciativa inclui profissionais e militantes das áreas do cinema, artes plásticas, psicanálise, comunicação e história, em um coletivo voltado à inclusão, formação e trabalho conjunto entre diferentes personagens sociais da vida cotidiana na metrópole. Até o fim do projeto, com duração de 15 meses, os jovens participantes criarão três curtas-metragens baseados em histórias reais ou fantásticas. Ficções e veracidades da cultura urbana, com seus personagens mais imediatos. Relatos vivos e de faz de conta, enfrentamentos, fantasias e sonhos de uma parcela valiosa da juventude brasileira, em seu trajeto na busca pela inclusão e na luta pela afirmação dos seus direitos.

 

 

Foto: Divulgar

 

 

Os filmes já começaram a serem produzidos e serão lançados no segundo semestre, no Espaço Cultural. São: Ficção tipo real, Filme das meninas – título provisório – e um outro em linguagem experimental. Todos serão lançados, no segundo semestre, no Espaço Cultural.

 

 

 

Inauguração

 

O evento que promove a abertura do espaço contará com a exibição de quatro obras já produzidas pelo coletivo: Filme de Rua, o primeiro de todos, de 2016, Ver o mar, Chuá de maloqueiro e Maloca, os três de 2018. Além de contar também com sessão de debate e comentários com a participação da equipe e dos jovens – que têm faixa etária entre 15 e 29 anos.

 

 

Inauguração do Espaço Cultural Filme de Rua
Quando: 12 de março (terça-feira)
Horas: 19h
Onde: Avenida Afonso Pena, 941, loja 8, Centro
Quanto: gratuito 

Charles Douglas
Charles Douglas
Virginiano, metropolitano de Ibirité, mas com a vida construída em BH, jornalista recém formado e apaixonado pelos rolês culturais da capital mineira. Está perdido no mundo da internet desde quando as comunidades do Orkut eram o Culturaliza de hoje. Quando não está com a catuaba nas mãos, pelas ruas de Belo Horizonte, está assistindo SBT ou desenhos no Netflix.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *