Colunas Crítica Musical Culturaliza Música Resenha

Calum Scott mostra potencialidade musical em “Only Human” seu primeiro álbum

Trabalho mistura Pop e R&B; Artista é comparado a Sam Smith e Adam Levine, do Maroon 5
 

Os programas mundiais “The X Factor” e também o “Britain’s Got Talent” que tem em sua bancada nomes de peso da produção musical, como o destacável “Simon Cowell”, podem ser considerados um dos maiores fabricantes de artistas da música Pop. Prova disso foi que deles nomes marcantes surgiram, como os grupos “One Direction”, “Fifith Harmony”, “Adam Lambert (vocalista atual do grupo Queen)”, “Leona Lewis”, “Kelly Clarkson”, “Jordin Sparks” e recentemente o cantor inglês “Calum Scott”. Prova de que seu talento é tamanho na música está na incrível participação do artista na abertura das “Paraolimpíadas no Rio de Janeiro” onde o artista cantou a música “Transformar” com a rainha do Axé/Pop, “Ivete Sangalo”.

 

Com o lançamento esperado do seu primeiro álbum “Only Human (2018)”, Calum Scott vem deixando claro para os fãs que veio realmente para ficar no cenário musical. O álbum traz 11 faixas que misturam “R&B e Pop” sob a supervisão e apoio de grandes produtores do mercado da música, entre eles Jayson DeZuzio, Oak Felder, Oscar Gorres e Phil Paul. Para divulgar o álbum na midia mundial, o cantor vem apostando na regravação de “You Are The Reason” (que já ultrapassou os 100 milhões de streams) e traz o “duo” com a cantora Leona Lewis, uma das vencedoras do The X Factor. Mas, o álbum “Only Human (2018)” traz outras faixas que comprovam a força do artista na música mundial.

 

Em “If Our Love Is Wrong”, primeira música do álbum, o cantor traz todo o seu romântismo. A música fala de erros em relacionamentos amorosos, tendo o arrependimento como uma arma para consertar os problemas. “Eu não sei como devo dizer. Na minha opinião, é cada palavra. Que eles não querem ouvir. Eu não sei como eles podem aguentar. Talvez você possa levar a pressão. E faça desaparecer. Jogue fora a inibição. Você me faz sentir um sentimento que eu nunca senti antes”. Em seguida ele traz a empolgante “Give Me Something”, canção que cabe perfeitamente nas pistas de dança. A música tem um refrão bem forte. “Apenas me dê algo. Eu não preciso saber, mas você não está dando nada. Vou levar tudo. Apenas me dê algo. Porque tudo que eu preciso é você”.

 

Em “Rhythm Inside”, Calum Scott traz o seu romântismo e um vocal que por alguns instantes, nos dá a impressão de estarmos ouvindo aquelas canções mais Pop do grupo “Marron 5”. A semelhança com a voz de Adam Levine, vocalista do grupo é tamanha. Na canção ele fala sobre a importância de estar ao lado de alguém que se ama “Tantos olhos, não consigo ver. Sou estática e não consigo mexer os pés. A partir do momento que você ficou ao meu lado. Sentindo-se maníaco, eu esqueci como falar. E tem um ritmo dentro. Que eu não posso desacelerar. Neste momento no tempo. Não vou parar agora”. Em “You Are the Reason”, sucesso do álbum, o romântismo ecoa aos quatro cantos. A faixa se mantém como o carro chefe do álbum.

 

Já em “Come Back Home”, Calum Scott traz swing nas batidas e claro, o romântismo marcante de suas letras. “Eu esperava que você ficasse um pouquinho mais. E eu esperava que você continuasse chamando. Com todos os dias eu tenho que enfrentar. Eu me pergunto por que nosso amor foi roubado. Com cada respiração eu tenho que desperdiça. Eu estou queimando como um fogo, alguém ajudará minha dor? Estou me afogando acima da água, oh, me ajude a respirar de novo”. Dando sequência em “Only Human (2018)”, Calum Scott mantém a linha do Pop com a música “Stop Myself (Only Human)”, “Dancing On My Own” e chega na bela e destacável “Only You”.

 

Já em “Won’t Let You Down” Calum Scott mantém o amor em evidência. A letra é simples, mas forte. “O amor da sua vida está te tratando errado. Você fica ao seu lado, ele fica sozinho. É o conto de fadas que você quer. Mas o brilho em seus olhos se foi”. Na linha Pop ele traz ainda para o ouvinte “What I Miss Most”, “Hotel Room” e “Good To You” que traz uma letra bem suave. “Se eu pudesse voltar. Para quando você estava sozinha. Eu estaria lá para segurar sua mão. Entre em nossas camas porque somos os únicos. Pessoas que podem entender, sim. A estrada que você viajou, cascalho e pedra. Tem pavimentado em todos os caminhos que eu conheço”. Em seguida, o álbum traz “Not Dark Yet” e fecha com o hit “Dancing On My Own (Tiesto Remix) que incrivelmente traz um vocal parecidissimo com o do cantor Adam Lavine, do Marron 5.

 

Sobre o álbum “Only Human (2018)”, o cantor Calum Scott declarou para a imprensa mundial que com esse trabalho ele pretende trazer uma palavra amiga e acima de tudo, esperança para as pessoas. “Para mim, ‘Only Human’ significa que estás bem contigo mesmo. A minha esperança é de que estas canções encorajem as pessoas a aceitarem quem elas são, de forma a haver menos medo no mundo e mais amor.”

 

Avaliação

 

Entre as faixas que mais gostei de “Only Human (2018)” indico: “If Our Love Is Wrong”, “Give Me Something”, “Rhythm Inside”, “You Are the Reason”, “Dancing On My Own”, “Come Back Home”, “Only You”, “Good To You” e “What I Miss Most” que são lindas e empolgantes. Avalio “Only Human (2018)” com cinco estrelas (avaliação máxima) por que após a participação dos programas musicais, Calum Scott (diferentemente de artistas que ganham premiações) esperou pelo menos três anos para se dedicar “integralmente” a produção do seu primeiro álbum “Only Human (2018)”. O resultado de tanta dedicação se formalizou no disco que traz ao mesmo tempo a força do Pop misturada ao ótimo som do R&B. O disco já é cotado como um dos grandes trabalhos do ano. Vale a pena escutar “Only Human (2018)”, que já está disponível no Deezer e tambem no Spotify.

 

Até a próxima Crítica Musical.

Crítica Musical é publicada neste espaço toda quinta-feira

Deixe o seu comentário

Felipe de Jesus
Felipe de Jesus
- Editor e Administrador do portal do CulturalizaBH | - Jornalista/Colunista: Crítica Musical _______________________________________________________________________ Jornalista, Teólogo, Sociólogo, Letras (Literatura) e Bel. em Economia. Tem Mestrado em Comunicação Social: Jornalismo e Ciências da Informação, Doutorado em Ciências Sociais e atualmente cursa Direito. Apaixonado por música, colabora com rádios e portais falando sempre sobre álbuns, coberturas de shows e etc. Tem como hobbie comprar CDs e também vinis. "Minha paixão pela música brasileira me faz quase um pesquisador. Um amor que vem da adolescência" (Felipe de Jesus). _______________________________________________________________________ [ Siga o Instagram: @felipe_jesusjornalista ]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *