Colunas Destaque Rolê Fotográfico

Rolê Fotográfico: Savassi

Opa, tudo bom? Olha eu aqui com mais um rolê que trago mensalmente para mostrar como BH é sensacional. É sabido que a Praça da Liberdade está em reforma e por isso, alguns lugares do Circuito Liberdade também estão fechados e devem voltar em breve. Com isso, resolvi dar um tempinho nos pontos turísticos da Liba e desci a Avenida Cristóvão Colombo pra chegar em um dos mais tradicionais e alternativos bairros de Belo Horizonte, é claro que você sabe que estou falando da Savassi.

 

 

O bairro da padaria

 

O bairro Funcionários é o maior bairro da região central de Belo Horizonte e foi a região de residência de vários trabalhadores da construção da capital, região que se estendia desde o início e final da Av. Carandaí até o final da Rua da Bahia depois do Minas Tênis Clube. Privilegiada pela Praça da Liberdade, a parte mais valorizada do Funcionários era a Praça 13 de Maio e seu entorno, e ali passou abrigar mais moradores e com isso os cafés, lojas, padarias, etc. BH era uma cidade muito nova quando passou a receber imigrantes italianos, japoneses, sírios e turcos e a colônia Italiana era a maior delas, onde muitos formaram famílias aqui e começaram seus negócios como: cutelarias, padarias, alfaiatarias, aviamentos, etc. Foi em 1940 quando Amilcare Savassi, um padeiro italiano que há alguns anos tinha chegado em BH com a família resolveu abrir uma padaria na Praça 13 de Maio e batizou seu novo estabelecimento com seu sobrenome, assim nascia a Padaria Savassi.

 

Não demorou muito para a padaria ficar famosa. Ela ficava bem na praça, na esquina da Cristóvão Colombo com Pernambuco (naquela loja da Vivo). A praça era bem movimentada, muitos estudantes, políticos, intelectuais, todo mundo ia fazer alguma coisa na “Praça da Padaria Savassi”, e sim, foi assim que a Praça se tornou a da Savassi, logo depois o Cine Pathé apareceu, se estabelecendo o ‘point’ da região. Quando explodiu a segunda guerra, a Padaria Savassi foi saqueada e acabaram tendo um enorme prejuízo, mas seguiu firme até os anos 70 quando mudou para outro ponto próximo do atual até deixar o bairro definitivamente, mas o nome nunca saiu de lá.

 

A Família Savassi na porta de sua padaria. Provavelmente no início dos anos 40 | Fonte: desconhecida

 

 

De Funcionários a Savassi

 

Nos anos 50 a região da Savassi se consolidou no cenário nobre da capital. Ali havia os melhores cafés, as melhores lojas, o que deixou o lugar mais elitizado e um ponto de referência da classe alta da cidade e também desde de essa época sempre foi um ponto de encontro de jovens. Na década de 60 a praça ganhou o pirulito, originalmente criado para ocupar a Praça Sete. A região já se firmava como área comercial. Nos anos 70 o tráfego se intensificou, transformando a praça num dos lugares mais movimentados da capital e o pirulito, depois de dezesseis anos, acabou voltando para seu local original.

 

A Savassi nos anos 70 com o obelisco da Praça Sete. No canto superior esquerdo podemos ver a Padaria Savassi. | Fonte: Acervo José Goes – APM

 

Cada ano que passava, a Savassi ganhava edifícios modernos, bares e restaurantes, o Pátio inaugurado em 2004 e assim se tornando cada vez mais valorizada. Em 1991 a Savassi foi oficializada como região, mas só em em 2006 ela foi desmembrada para se tornar um bairro de BH. Finalmente em 2011 já com o status oficial de bairro a sua principal praça foi revitalizada, deixando ainda mais atraente não só a praça, mas o seu entorno, pois nos anos 80, a praça já tinha quarteirões fechados.

 

 

Mais jovem do que nunca

 

A Savassi continua construindo sua história e com a mesma efervescência cultural e noturna de sempre. Não faltam restaurantes, bares, boates, lanchonetes e tudo mais que rimar com diversão. O comércio continua jovem e moderno bem como seus frequentadores que são o símbolo da vida diurna e noturna da região. A região tem uma lista repleta de lugares para curtir . Seja no Pátio, ou um show no KM de Vantagens Hall, nos vários Pubs que se estendem até o Santo Antônio e o Sion, nos cafés, nos barzinhos, nas boates LGBT e até no Mc Donalds dos finais dos rolês. Segue mais fotos abaixo e espero que goste e veja a praça com um outro olhar. Até o próximo rolê. 😉

 

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Fontes:

https://www.em.com.br/app/noticia/gerais/2011/12/10/interna_gerais,266632/padaria-simbolo-da-savassi-resiste-ao-tempo.shtml

http://blimabracher.com/cronicas-com-cafe/savassi-conheca-a-historia-do-bairro-mais-famoso-de-bh-e-seu-menestrel-pacifico-mascarenhas/

https://pt.wikipedia.org/wiki/Savassi

https://www.em.com.br/app/noticia/gerais/2016/02/28/interna_gerais,738327/savassi-25-anos-no-coracao-de-bh.shtml

Diego Martins
Diego Martins
28 anos, Atleticano, formado em Design Gráfico pelo UniBH e em fotografia pela Escola Metrópole. É apaixonado por futebol, história, arte, mesa de bar com uma boa conversa e tem a fotografia como sua mais nova paixão. Quando não está fotografando, adora ver filmes, seja em casa ou no cinema. Não trocaria Belo Horizonte por lugar nenhum do mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *