Resenhas Shows

Resenha: Maglore + Flavinho Cardoso e os Valentes Modernos + GAMP, na A Autêntica.

Olá, Culturalizadxs! Como estamos? Espero que todxs bem!

 

Saudade de estar juntinho de vocês nas divulgações e troca de experiências musicais. Quem aí já leu e/ou ouviu a expressão: “o bom filho a casa retorna!”? Eu, sendo um bom menino, voltei para compartilhar com vocês mais um show: Maglore + Flavinho Cardoso e os Valentes Modernos + GAMP, na A Autêntica.

 

Digo e repito (sempre): para um show dar certo, além do talento do/a artista, o suporte da Casa é indispensável e,  A Autêntica não decepciona, pois proporciona um ambiente aconchegante, bem decorado, preços justos, organização e limpeza. 1º piso ficaram os/as fãs que gostam de mais movimento (mesmo estando velho, também me acabo na pista).  

 

No 2º piso, com mesas e cadeiras em um estilo rústico, é ideal para quem quer algo mais tranquilo sem perder a qualidade do som. Ah! Já estava me esquecendo: agora em parceria com a Cervejaria Backer temos uma leva de várias opções saborosas para completar os shows.

 

Parabéns aos/às organizadores/as e Gestores/as do espaço, cumprindo com a proposta de divertir o público com arte, cultura e valorização da música autoral.

 

Antes de iniciar meu relato de experiência, gostaria de agradecer a companhia da minha querida amiga Priscila Souza (@priscilahsouza) que sempre está comigo em diversas aventuras musicais e da vida!

 

 

Aos artistas, nosso muito obrigado pela atenção e respeito ao público, pois meio à crise sócio-política que estamos enfrentando e suas implicações no ir e vir, cumpriram com maestria o show da noite.

Gratidão!

 

Bora lá”! Quando nos deparamos com o palco repleto de calcinhas no microfone e pedaços de panos estampados, houve uma sensação de espanto. Mas, quando Flavinho Cardoso e os Valentes Modernos chegaram com sua roupagem colorida e seu som misturando o Brega, Pop  e Rock, todos/as saíram do chão e a festa começou. Os caras são bons e performáticos. Passa uma sensação boa para o público.

 

 

 

 

 

 

 

(GAMP. Fotografia: Paulo Antunes)

Logo após a banda GAMP entra em cena. Conheci o trabalho deles ouvindo aleatoriamente músicas do Lenine no YouTube. Então encontrei a versão de “Hoje eu quero sair só” feita por eles.  Todos/as sabem que tenho “Leninine aguda” e acho bem difícil alguém tocar bem as músicas do Galego. Mas, os caras fizeram uma roupagem de rock que caiu muito bem e chegaram a ficar entre as 30 mais tocadas nas rádios do país. (Informações retiradas do site da banda http://gampoficial.com.br) E para minha surpresa foi a 1ª música. Aí já imaginam como fiquei. Não é mesmo? E depois disto, sou fã. Eles mandam muito bem!

 

 

 

A banda de Rock e MPB baiana, MAGLORE, chegou em terras mineiras (mais uma vez) para lançar seu 4º disco, intitulado TODAS AS BANDEIRAS; um álbum autoral e diria que bem político e subjetivo, trazendo várias verdades ideológicas.

 

 Com um reconhecimento nacional de sua musicalidade, trouxeram composições maravilhosas, como “Aquela Força” e “Você me Deixa Legal”. Também apresentaram músicas dos outros 3 álbuns, “Dança diferente”, “Ai, ai”, “Aconteceu”. Não tinham pés que não se mexiam ou pernas que não pulavam. Os músicos sabem agitar os fãs não só por seu som, mas com uma interação respeitosa e cheia de piadas. Essa relação público e artista é evidente no trabalho nos meninos.

 

(MAGLORE. Fotografia: Paulo Antunes)

 

 

Valeu, Maglore!

 

Até o próximo show, amores e amoras. Não se esqueçam de acompanhar nossos posts e de se agendar!

 

Logo tem o show do Castello Branco e, volto para compartilhar com vocês!

Paulo Antunes
Paulo Antunes
Taurino, Pedagogo, filho único, amante da musicalidade (com uma leve – talvez forte - tendência à MPB) e do sorvete de Macadâmia. Espiritualista por vocação e crente na bondade humana por opção. Digamos que é um mix de “som, silêncio e outras raridades."

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *