Culturaliza Diversão Exposições

Programação de Março do Memorial Minas Gerais Vale

A programação reservada para março no Memorial Minas Gerais Vale é um convite à reflexão – por meio da arte, de datas importantes do calendário nacional: Dia Internacional da Mulher (8) e Dia Internacional Contra a Discriminação Racial.

 

Iniciando as comemorações no dia 08 de março, haverá shows do Coletivo A.N.A e do grupo Negro por Negro, de canto e dança, no dia 18, reforçam o papel e a importância da atuação e da valorização feminina na sociedade. E durante todo os fins de semana do mês de março o Dia da Mulher ainda ganha espaço com a ação educativa “Intervenção Poética”, em que o visitante é convidado a compartilhar uma frase, uma poesia, um sentimento sobre a equidade de gênero.

 

Já o dia contra a discriminação racial, também lembrado pelo espetáculo do Negro por Negro, ganha discussão especial “Aos pés do Baobá”, sempre aos sábados, em um convite a refletir sobre a presença da cultura africana no Brasil, a fim de estimular descobertas e desconstruir preconceitos.

 

Para além das datas comemorativas, o Memorial Vale recebe o público para apresentação única do cantor e compositor Lucas Santtana, que ocorrerá na capital no dia 10; no mesmo dia haverá a estreia do projeto Ideografias, que traz bate-papo com a artista e coidealizadora do Circuito Urbano de Artes (CURA), Priscila Amoni; e o casal Liv Izar e Xico Abreu, do Manaká Passarinheiro, que apresenta o espetáculo “Vamos crescer juntinhos” no dia 17 de março. O encontro é direcionado a crianças e familiares da primeira infância, em um show intimista de voz e piano. Destaque também para a artista Carolina Botura, que faz performance nos dias 3 e 25 de março relativos à exposição em cartaz “As coisas quando não são mais elas”.

 

Abaixo detalhes dia a dia da programação:

 

TODO SÁBADO E DOMINGO

 

Aos fins de semana, o Educativo do Memorial Vale realiza ações de aprendizagem e trocas de experiência gratuitas interligadas à sua programação. Neste mês de março são propostas três atividades: (1) “Gesto & Caos”, que propõe reflexões baseadas na exposição “As coisas quando não são mais elas”; (2) Intervenção Poética, que marca o Dia Internacional da Mulher com uma intervenção poético-visual que busca refletir sobre o papel das mulheres na sociedade atual – qual mulher: Cidadã? Mãe? Estrangeira? Sagrada? Profana?; e (3) Aos Pés do Baobá!, em que o Memorial Vale convida o visitante a refletir sobre a presença da cultura africana no Brasil, a fim de estimular descobertas e desconstruir preconceitos. Esta ação lembra o Dia Internacional Contra a Discriminação Racial (21), instituído pela ONU.  Ainda aos fins de semana, as famílias podem realizar visitas mediadas em horários específicos: sábados, às 13h, 14h e 15h; e domingos, às 11h, 12h, 13h, 14h e 14h30 (grupos de até 10 pessoas).

Nos dias 3 e 25 de março teremos a performance da Carolina Botura. Só citar, com nome e horário pois não temos mais detalhes.

 

8 DE MARÇO | QUINTA | 19H

 

Show com o Coletivo A.N.A – Homenagem ao Dia Internacional da Mulher

 

As vozes de Deh Mussulini, Irene Bertachini, Laura Lopes, Leonora Weissmann, Luana Aires e Michelle Andreazzi se unem em um show acústico que apresenta canções inéditas e faixas do CD ANA. As cantautoras também ocupam o palco do Memorial Vale com toda a instrumentação em uma homenagem marcante ao Dia Internacional da Mulher. Entrada sujeita a lotação. Retirada de senhas uma hora antes do evento.

 

10 DE MARÇO | SÁBADO | 10H30

 

Estreia do projeto Ideografias: Caminhar para a utopia – o novo circuito de arte urbana da cidade, com Priscila Amoni

 

Fruto de parceria entre o Memorial Vale e o IEC-PUC Minas, o projeto Ideografias traz a artista e coidealizadora do Circuito Urbano de Artes (CURA), Priscila Amoni, para um papo em que ela conta um pouco de sua trajetória como muralista e sua relação com a cidade de Belo Horizonte. Nesta conversa, Amoni ainda conta como surgiu o Festival que tem transformado o horizonte da cidade, presenteando-a com imensos murais nas empenas do hipercentro. Este é o primeiro encontro do projeto Ideografias, que terá encontros mensais durante todo o ano. Renata Alencar e Tailze Melo assinam a curadoria e a entrada é sujeita a lotação.

 

10 DE MARÇO | SÁBADO | 16H

 

Projeto Contemporâneo apresenta Lucas Santtana (SP), Voz e Violão

 

O cantor e compositor vem a BH para única apresentação no Memorial Minas Gerais Vale. Longe de qualquer rótulo que faça comparações com artistas de sua geração, Lucas Santtana é a figura por trás de canções como “Cira, Regina e Nana”, “Lycra Limão”, “Partículas de Amor”, “Funk dos Bromânticos” e “Modo Avião”. No museu, sobe ao palco no formato voz e violão em uma apresentação intimista, que funciona como uma espécie de bate papo entre o cantor e o público, onde a música é um convite para uma boa prosa. Entrada sujeita a lotação.

 

17 DE MARÇO | SÁBADO | 11H

 

Eu, Criança, no Museu! apresenta: Manaká Passarinheiro em Vamos Juntinhos Crescer!

 

A missão é ousada, mas a dupla/casal Liv Izar e Xico Abreu, do Manaká Passarinheiro, busca expressar a emoção de se tornar pai, mãe, tio, tia, avô ou avó em um encontro intimista que foca nas experiências desse sublime momento e de como a chegada do bebê transforma tudo em canção. Elenise Bandeira acompanha o casal no piano. A entrada é gratuita, sujeita a lotação. Retirada de senhas uma hora antes do evento.

 

18 DE MAR | DOMINGO | 11H

 

Gerais Cultura de Minas apresenta: Grupo Negro por Negro – Me deixa ser tambor

 

O grupo de canto e dança “Negro por Negro” – formado por remanescentes quilombolas de Brumadinho, na região metropolitana de Belo Horizonte, traz consigo o canto e a dança de seus ancestrais afrodescendentes como forma de expressão cultural. O encontro também marca o Dia Internacional da Mulher (8), com repertório que reforça o empoderamento feminino; e ainda o Dia Internacional Contra a Discriminação Racial (21). Entrada gratuita, sujeita a lotação.

 

EXPOSIÇÕES 

 

ATÉ 25 DE MAR | HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO DO MUSEU

 

Edital Jovens Artistas Mineiros apresenta: “As coisas quando não são mais elas”, de Carolina Botura

 

Desenhos, pinturas e instalações de Carolina Botura integram a exposição “As coisas quando não são mais elas”. A mostra segue em cartaz até 25 de março encerrando o Ciclo Jovens Artistas Mineiros 2017. O trabalho põe em discussão a passagem do tempo, os vestígios da intensa circulação midiática de imagens e os sintomas da contemporaneidade “com rigoroso e poético protocolo experimental”, nas palavras do curador Eduardo Jesus. Em “As coisas quando não são mais elas”, Carolina Botura promove diálogos em suas formas de produção que expandem e redimensionam o uso de materiais – como gesso e mármore. O trabalho ainda salienta a força do tempo, a possível eminência da catástrofe e os inevitáveis desgastes.

 

ATÉ 26 DE JULHO | HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO DO MUSEU

 

Exposição “Coletivo SCO2 apresenta Inventariar e Escavar o Invisível” – Curadoria de Guilherme Cunha e Bruno Vilela

 

O trabalho dos fotógrafos Camila Otto e André Hauck, do coletivo SCO2, apresenta os projetos “Inventariar e Escavar o Invisível” formado por fotografias e vídeos realizados em momentos distintos no bairro Jardim Canadá, em Nova Lima. O coletivo utilizou procedimentos baseados em metodologias e catalogação museológicas em que foram coletados diversos objetos cotidianos descartados pelas pessoas, ressignificados e descolados para o campo da arte. As imagens são apresentadas a partir de uma inquietude, que toma o visitante diante do silêncio das ruas, casas e vegetações registradas.

 

Programação de Março do Memorial Minas Gerais Vale

 

Quando: conforme programação

Hora: terças, quartas, sextas e sábados, das 10h às 17h30, com permanência até 18h.

Quintas, das 10h às 21h30, com permanência até 22h.

Domingos, das 10h às 15h30, com permanência até 16h.

Quanto: Entrada gratuita

Onde: Praça da Liberdade, 640, esq. Gonçalves Dias  

Joseane Santos
Joseane Santos
Canceriana do coração apaixonado, amante da boa música, atleticana no corpo e na alma, mineirinha do interior que encontrou na capital seu lugar no mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *