Colunas Culturaliza Literaliza BH Literatura Livros

Das estrelas – Mariana Cestari

A primeira dica de leitura do Ano Novo é também a minha primeira ressaca literária. Eu amei esse livro, amei os personagens, o tema e a escrita da Mariana Cestari. “Das estrelas” é o primeiro livro dessa paulista de 20 anos (a completar este ano), estudante de publicidade e propaganda, apaixonada por histórias, comédias românticas dos anos 80, comida japonesa, festivais de música, Netflix e passeios na Avenida Paulista.  Mariana é dona de uma escrita ágil, inteligente e super atual. Quando conheço escritores assim fico muito esperançosa com o futuro da literatura brasileira e Mariana Cestari é uma escritora que representa muito bem essa nova geração de escritores nacionais.

 

“Das estrelas” nos insere no mundo da jovem Mabel Grace. Uma garota talentosa, inteligentíssima, mas tomada por uma forte depressão. A Mabel já me conquistou no prólogo quando confidencia aquilo que vem roubando o brilho dos seus dias. “A tristeza parecia destruir tudo aquilo que costumava me fazer sorrir”. Ela é muito sincera com o leitor que cria uma relação de cumplicidade imediata com a personagem. Aos poucos vamos conhecendo um pouquinho da sua vida, de como a sua família e amigos lidam e respeitam as suas crises. Eles tentam se adaptar, mas sabem que no fundo, uma possível cura vai depender muito mais da Mabel do que deles e isso é muito triste, ela está num beco sem saída. Toda situação é comovente e real, a Mariana descreve muito bem essa atmosfera em torno da Mabel, seus momentos de tristeza profunda e os dias que passa no porão ao lado do seu cachorro de nome “Depressão”, bem pertinente. Mas a luz no fim do túnel da nossa querida protagonista, acaba de chegar a cidade. Trata-se de North St. John, um antigo rival da Mabel, que retorna a ilha para o casamento do pai.

 

North é aquele crush literário, fofo, engraçado e muito inteligente. Na infância, os dois disputavam todos os prêmios escolares, e a competição só acabou quando North foi embora para viajar o mundo com a mãe. Mas toda essa rivalidade sabemos que não passa de uma admiração profunda, somada aquele amorzinho enrustido. “Mabel era como um labirinto que eu jamais conseguiria decifrar”, (pág.69). E a reaproximação e convivência diária com North, muda completamente a vida dela. “Ele parecia ser o remédio para toda a dor que vinha sentindo. Perto dele as coisas pareciam mais brilhantes, vívidas” (pág.94). Ela experimenta o amor, o carinho e o medo de perder toda a segurança que conquistou após a chegada dele. Além de lindo, North é muito carinhoso, atencioso, divertido e principalmente disposto a fazer algo que ninguém até o momento conseguiu, tirar Mabel da escuridão. “Eu estava disposto a abdicar da minha sanidade apenas para compreender um terço dos pensamentos dela” (pág.99). E ele vai lutar muito para melhorar os dias dela e lhe dar uma nova vida.

 

A história é linda! Desde a ilha criada pela escritora, um local chamado Stellarum Littore, cujo céu noturno é o mais limpo do mundo, a delicadeza com que ela aborda a depressão, um dos grandes males da humanidade. “Das estrelas” é um romance bem escrito, bem construído e estruturado. Os diálogos são inteligentes, tocantes e divertidos. A leitura é empolgante e envolvente, li em poucas horas. Os personagens são ótimos, desde os principais aos secundários como as irmãs da Mabel, a Catarina melhor amiga dela, e Caio, melhor amigo de North. Eles são muito gente como a gente, além de divertidos ajudam North nessa empreitada de conquistar e convencer a Mabel do poder do amor.

 

“Das estrelas” é sobre superação, amor, amizade, e principalmente compaixão. É impossível não se compadecer com a história da Mabel, que poderia facilmente ser a de qualquer um de nós. A depressão não tem preconceito e todos nós estamos sujeitos a ela, infelizmente. Mas precisamos ficar atentos àqueles ao nosso redor e dispostos a ajudar sempre. “Das estrelas” é um livro que me marcou profundamente e entrou pra minha lista de preferidos.

Esta coluna é publicada aqui, todas as segundas!

Envie seu e-mail para a colunista: elisrouse@culturalizabh.com.br

Quer saber mais sobre literatura acesse: www.literalmenteuai.com.br

 

Deixe o seu comentário

Elis Rouse
Elis Rouse
Sou Elis, não sou Regina; sou do interior e amo a capital; sou jornalista, mas não trabalho em jornal; amo ler, sonho escrever; dicas vou dar, dicas quero receber; experiências vamos trocar; literatura brasileira vamos amar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *