Culturaliza Dicas Exposições

Painel inspirado nas lutas e resistências pode ser visitado no Mural Templuz

Até 6 de janeiro, o painel Emana, da fotografa mineira Fernanda Abdo, fica em exposição no Mural Templuz, na avenida Nossa Senhora do Carmo, na zona sul de Belo Horizonte. A imagem é inspirada em luzes que refletem lutas e resistências. “A imagem é sobre ser luz no caminho, sobre resistências, serenidade, mesmo na aspereza das lutas. Ela faz parte de um ensaio feito com uma irmã de alma, uma pessoa por quem tenho respeito e admiração enormes. E, naquele momento, não a vi sendo banhada pela luz da janela, ao contrário; ela irradiava a luz que ascendia aquele vão rendado”, explica a fotografa.

 

Formada em Design de Ambientes, a artista de 30 anos começou a fotografar na adolescência, por prazer. Só depois de sete anos de formada, Fernanda decidiu transformar a fotografia em profissão. Atualmente, ela se dedica a clicar pessoas e artes cênicas. “Fotografar pessoas me alimenta muito. A inspiração é a soma do que elas me trazem; suas histórias, seus silêncios, sua personalidade, junto às minhas vivências. Acredito, cada vez mais, que fotografar é sobre a experiência da troca, e valorizo muito esse presente que a profissão me dá a cada oportunidade de fotografar”, acrescenta.

 

“Emana” – Fernanda Abdo

Quando: até 6 de janeiro 2018

Horas: diariamente, todos os horários

Onde: Mural Templuz (avenida Nossa Senhora do Carmo, 1150, Sion, Belo Horizonte)

Deixe o seu comentário

Bárbara Andrade
Bárbara Andrade
Mineira de BH e leonina nascida em agosto, Bárbara é uma jornalista apaixonada pelas palavras. Seu humor pode ser definido por meio de trilhas sonoras. Em seus melhores dias não podem faltar artistas como David Bowie, Raul Seixas, Cazuza e Amy Winehouse, além de sua banda favorita: The Smiths. A literatura é seu passatempo predileto e, em momentos de inspiração, essa garota de 23 anos se arrisca a escrever suas próprias histórias. Viciada em séries e filmes, Bárbara acredita que quase tudo nesta vida se resolve com uma boa caneca de café (com açúcar, por favor).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *