Culturaliza Dicas Diversão Música

Sinfônica Pop com Chico César – Estado de Poesia Sinfônico

Sob regência do maestro assistente Sérgio Gomes, o cantor e compositor Chico César se apresenta ao lado da Orquestra Sinfônica de Minas Gerais na série Sinfônica Pop. O músico interpreta grandes sucessos de sua carreira, em novos arranjos orquestrais.

 

As apresentações, que têm regência do maestro assistente da OSMG, Sérgio Gomes, aliam o talento de Chico César à versatilidade da Orquestra, traz arranjos especialmente criados para a ocasião, que são assinados pelos músicos Marcelo Ramos e Fred Natalino, e contemplam diferentes naipes da OSMG, como as cordas e os metais. O repertório traz composições marcantes de Chico César, como À Primeira Vista, Estado de Poesia, Pensar em Você e Mama África, canção que projetou nacionalmente a carreira do artista. Que interpretará também clássicos da música brasileira, como Espumas ao Vento, composta por Accioly Neto e Prá Não Dizer Que Não Falei das Flores, de Geraldo Vandré. Além dessas músicas, o público poderá conferir sucessos de artistas como Luiz Gonzaga, Humberto Teixeira, Paul Anka, Zeca Baleiro, entre outros grandes parceiros do cantor.

 

Segundo o maestro, regeu os concertos da orquestra com os artistas Elba Ramalho (2016) e Luiz Melodia (2015) cada artista convidado tem seu público próprio que, em sua maioria, nunca assistiu a um concerto de música erudita. “Com a oportunidade oferecida por meio do Sinfônica Pop, o público ouve suas canções preferidas com novos arranjos, desfrutando de uma sonoridade nova, rica e variada”, conta Gomes.

 

Abaixo informações sobre a apresentação:

Sinfônica Pop com Chico César – Estado de Poesia Sinfônico

Quando: 11 e 12 de novembro

Horas: sábado às 20h30 e domingo às 19h 

Onde: Grande Teatro do Palácio das Artes – Av. Afonso Pena, 1537 – Centro

Quanto: R$ 60,00 (inteira) e R$ 30,00 (meia-entrada)

Deixe o seu comentário

Joseane Santos
Joseane Santos
Canceriana do coração apaixonado, amante da boa música, atleticana no corpo e na alma, mineirinha do interior que encontrou na capital seu lugar no mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *