Literaliza BH Literatura Livros

O Arroz de Palma – Francisco Azevedo

“O Arroz de Palma” é um belo exemplar da literatura brasileira que precisa ser lido e indicado. Escrito pelo carioca Francisco Azevedo, a obra foi lançada em 2008 e desde então é sucesso absoluto nas livrarias e na internet alcançando a marca de 50 mil exemplares vendidos. O livro que já está na 18º edição já foi publicado em mais de 10 países. O sucesso de “O Arroz de Palma” é tanto que chamou atenção da TV Globo e será tema da próxima novela das 18h, com estreia prevista para 2019. Francisco também escreve peças de teatro, contos, poesias, roteiros de longa e curta-metragem, documentários e comerciais de televisão.

 

O livro “O Arroz de Palma” não é desses modinhas que tomam conta das vitrines das livrarias e todo mundo vai te indicar freneticamente para ler. “O Arroz de Palma” é daqueles livros lidos por um público especial que na primeira indicação já vai te deixar uma pulguinha atrás da sua orelha e você nunca mais vai se esquecer das palavras “arroz” e “palma” e da possibilidade dessa mistura dar um romance. Na primeira pesquisa, já de cara nos apaixonamos pela capa que é maravilhosa em qualquer edição. Em um clique rápido pelo Skoob a nota 4.4 salta aos nossos olhos e fica praticamente *impossível não ler.

 

 

 

Um bate papo agradável! É assim que defino “O Arroz de Palma”, uma conversa meiga e singela entre o personagem principal, o senhor Antônio, 88 anos, e o leitor. Nesse diálogo, Antônio nos brinda com analogias formidáveis entre o ato de cozinhar e a construção da família, como “ Família é prato difícil de preparar” que se repete diversas vezes ao longo da obra. Não vá ler este livro achando que irá devorá-lo rapidamente porque ele é para ser degustado pouco a pouco, no ritmo das lembranças do personagem. Enquanto cozinha, Antônio faz um passeio por várias etapas da sua vida, até antes mesmo de ter nascido, através das histórias contadas pela irreverente tia Palma, a criadora da saga do arroz. É ela quem recolhe o arroz jogado nos pais de Antônio na saída da igreja após o casamento, ainda em Portugal, e decide presenteá-los com o que ela considera o símbolo de fertilidade e eterno amor. José Custódio, pai de Antônio, um homem de temperamento irascível, encara o gesto da tia Palma como uma afronta. Já a esposa Maria Custódia considera o gesto uma benção, está armada a primeira de muitas outras desavenças proporcionadas pelo arroz. A partir daí o arroz da tia Palma passa a ser o pano de fundo para os acontecimentos e decisões mais importantes da família. E mesmo depois de quase um século, o arroz continua o mesmo, sem se deteriorar. Aos olhos do Antônio viajamos entre o passado e o presente, acompanhando de perto as transformações da sua vida e do mundo ao seu redor.

 

Capas pelo mundo!

 

 

“O Arroz de Palma” é uma história bem contada sobre a edificação de uma família comum. É um livro sobre raízes, diferenças, amor, dedicação, escolhas, aceitação, compreensão, perseverança e união. É uma reflexão sobre como vivemos o hoje, o quanto de atenção e afeto damos àqueles que formam a nossa família e quão preparados estamos para formar uma.

 

*Sempre me pergunto por que os livros brasileiros são tão caros quando comparados aos estrangeiros. Demorei muito para ler esse livro porque nunca o encontrei por um preço acessível e só li porque ganhei de presente de aniversário. 

 

Esta coluna é publicada aqui, todas as segundas!

Envie seu e-mail para a colunista: elisrouse@culturalizabh.com.br

Deixe o seu comentário

Elis Rouse
Elis Rouse
Sou Elis, não sou Regina; sou do interior e amo a capital; sou jornalista, mas não trabalho em jornal; amo ler, sonho escrever; dicas vou dar, dicas quero receber; experiências vamos trocar; literatura brasileira vamos amar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *