Crônicas Culturaliza Literatura

Crônica: O relógio

Acompanha a família Carneiro desde 1923. Esteve em Ubá e foi junto com a mudança para a capital mineira. Em cima bate as horas e embaixo marca os dias, meses e anos até o bissexto.

 

Presente de um primo do Seu Adjalme que o adquiriu em um leilão no porto do Rio de Janeiro. E está na parede da sala do apartamento do prédio que ganhou o título de Patrimônio Histórico e Cultural localizado em uma das avenidas mais movimentadas e culturais da cidade.

 

Já marcou de tudo, como a espera de um amor, o último beijo, o nascimento de um filho, a morte de um querido, a hora de cantar parabéns e de desejar um feliz ano novo.

 

Em um domingo, todos estavam na sala ouvindo música, quando um barulho forte se fez no chão. Lá estava ele, caiu, assim de repente. A família ficou sem reação ao ver um bem estimado despedaçado no piso de taco.

 

Depois do susto, a calma foi restabelecida e a família se juntou para consertá-lo com sucesso e o relógio se manteve o mesmo de antes, sem nenhuma diferença.

 

O relógio oitavado da família Carneiro continua a bater e a contar os dias, passar os meses e mudar os anos. Continua a observar os momentos e espera continuar marcando mudanças.

 

Imagens minhas transformadas em textos às quintas-feiras

Deixe o seu comentário

Laura Barbosa
Laura Barbosa
Sou essa moça, mãe de menina, que se atreve a tirar fotos e brincar com as palavras. Literatura na alma, filmes no coração. Um bom vinho, um bom papo com marido e bons amigos. Tenho meus medos, sou ansiosa! Sou essa moça, esquisita e gente fina!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *