Literatura Poesia

Poetiza BH: Rola moço e rola moça, rolamos

Por certo há semáforos

mãos diversas

tal como o ziguezaguear nas veias

que jovens

perdidas

pelas vias de mãos

triplas fomos andantes

até que a cidade nos inventa

arvorecemos na praça

já era manhã

quando chegou sua sombra

e antes que houvesse som

era outra esquina que nos sentia

agora misturados

asfalto

grama e luz

acabamos curvos

enredados pela arquitetura

que vem

quando o amor bailou

dançamos

feito Niemeyer’s do século XXI

misturamos o horizonte

nenhuma curva bastava

quisemos esperar de novo anoitecer

quisera uma manhã alumiada

pois de esquinas se faz o dia

amar é turvo

curva

que é manjedoura de gozar

por certo há montanhas…

Toda quarta-feira,  um poema inspirado em algum ponto de Belo Horizonte! 

Poesia: Bernardo G.B. Nogueira

Foto: Diego Martins 

Deixe o seu comentário

Bernardo Nogueira
Bernardo Nogueira
Professor da Escola de Direito do Centro Universitário Newton Paiva, mestre em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de Coimbra, doutorando em Direito pela PUC/MG, autor dentre outros dos livros: "Cinema com Filosofia", "FOTOcontinuo", "Avôrio", "Direito e Literatura". Talvez poeta...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *