Destaque Dicas Diversão Turismo

Experiências na Escape Time BH

A equipe do Culturaliza BH já começou recebendo presentes! Na sexta-feira, 13 de janeiro, fomos convidados para conhecer a novidade de Belo Horizonte, chamada de Escape Time BH, que é uma casa de jogos, mas não é como essas que a gente está acostumado a ver pelos shoppings. É uma casa de fuga, na verdade, ou seja, você tem que escapar do jogo, literalmente. Um dos objetivos é proporcionar um desligamento do mundo exterior, além de oferecer dinâmicas diferenciadas para empresas.

 

Corredor de entrada da Escape Time | Foto: Kenneth Anders

 

Por enquanto, o local possui três salas temáticas de jogos, no qual tivemos a chance de participar de duas, as chamadas “O Quarto 66 e os segredos dos templários” e “Alcatraz, escapada impossível”; a terceira “Pânico no Expresso do Oriente”, ficamos só na vontade, por enquanto. Para já ir matando um pouco da sua curiosidade, eu e nossa colega aqui do Culturaliza, Jussara Lima, resolvemos passar nossa experiência pra você.

 

Experiência: “Quarto 66 e os segredos dos templários”, por Charles Douglas 

 

 

Tive a experiência de vivenciar a tensão do Quarto 66, com mais sete pessoas. Antes de entrarmos, somos informados que, no jogo, fomos contemplados com a herança de um parente distante que morreu misteriosamente, há mais de 70 anos, no quarto 66 de um hotel super bem localizado pertencente a esse parente, que é milionário e que segundo boatos, é o guardião de um grande tesouro dos cavaleiros templários. Só que como diz o ditado: felicidade de pobre dura muito pouco, o hotel que herdamos está para ser demolido pela prefeitura dentro de uma hora, que é exatamente o tempo que temos para achar um documento que impede essa demolição. O jogo começa aí, entramos vendados, a porta fecha, o cronômetro é iniciado e o mistério surge de uma forma surpreendente. Vários enigmas são descobertos dentro do quarto. Não vou contar tudo aqui, porque você precisa conhecer, não é mesmo?! Só tome cuidado quando a luz apagar. Brincadeira, pois isso não acontece. Só queria deixar claro aqui que minha equipe saiu com 47 minutos, ok?! Arrasamos ou não?

 

Experiência: “Alcatraz, escapada impossível”, por Jussara Lima

 

E a noite de sexta feira 13 chegou com uma surpresa. E não era um gato preto! Fomos convidados a entrar no mundo dos games e enigmas no incrível na Escape Time ou Jogo de Fuga, que é um lugar inovador, cheio de diversão, onde você precisa formar uma parceria com outras pessoas para conseguir sair da sala de jogos no prazo de uma hora apenas. (Não é a sala de Sr Grey, mas é impressionante.)

 

Eu joguei na sala Alcatraz, que é baseada na fuga real de 1962 em São Francisco. A adrenalina invade quando somos algemados um ao outro e vendados para entrar na sala. É nessa hora que a aventura começa! Um cronômetro, ao fundo, nos desespera, pois abaixo está uma cadeira elétrica. Sim, uma cadeira elétrica, meus caros. Um pavor enorme. O objetivo principal é decifrar os diversos enigmas sem usar muitas dicas e não acabar executado. Valeu muito a pena a experiência de desconectar de tudo por uma hora. A gente não lembra de nada, nem das dívidas, DR’s, Redes Sociais e afins. Você pensa apenas em sair o mais rápido que puder. 

 

Alguns membros do Culturaliza BH e convidados após a experiência.

 

Escape Time

 

Onde: Rua Orange, 92, São Pedro(em frente ao Pátio Savassi)
Horários: 13h às 21h (público geral) e horários flexíveis (público corporativo)

Valor: R$ 69 (dias durante a semana) e R$ 79 (fins de semana)
Informações: escapetime.com.br

 

Deixe o seu comentário

Charles Douglas
Charles Douglas
Virginiano, metropolitano de Ibirité, mas com a vida construída em BH, jornalista recém formado e apaixonado pelos rolês culturais da capital mineira. Está perdido no mundo da internet desde quando as comunidades do Orkut eram o Culturaliza de hoje. Quando não está com a catuaba nas mãos, pelas ruas de Belo Horizonte, está assistindo SBT ou desenhos no Netflix.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *